Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

“Denúncias sem materialidade”

Postado por Simone de Moraes

21/03/2011 23:39


Crédito:

Depois do escândalo do envolvimento da ex-distrital Jaqueline Roriz no esquema de corrupção, conhecido como mensalão do DEM, agora é a vez    de sua ex-chefe de gabinete, e atual deputada distrital, Celina Leão (PMN), a estampar e protagonizar manchetes e matérias de telejornais. A diferença é que agora não estamos nos referindo à operação “Caixa de Pandora”. As novas denúncias tratam de supostos novos crimes, que poderão gerar novas investigações, que por sua vez, poderão trazer à tona novos suspeitos de crimes contra o estado e a sociedade.

Conforme as denúncias publicadas no jornal Correio Braziliense no último domingo (20), Celina Leão estaria envolvida num esquema que desviava dinheiro público e beneficiava empresas na contratação de serviços prestados à Administração Regional de Samambaia. No mesmo dia que o jornal fez a denúncia, o deputado Chico Vigilante publicou uma nota pedindo que fosse aberta a investigação. “Não estou acusando a deputada, estou dizendo que existe um fato que precisa ser apurado”, comentou o distrital, que encaminhou representação à mesa diretora da casa.

Com isso, no final da tarde desta segunda (21), foi realizada uma reunião da mesa diretora, a portas fechadas, para decidirem quais as providências a serem tomadas. Ao final do encontro, Cabo Patrício (PT), presidente da CLDF, disse que vai aguardar informações do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e do Ministério Público de Contas (MPC). “Encaminhamos um ofício solicitando que o Ministério Público encaminhe para Câmara, qualquer procedimento investigatório onde haja ilicitude”, disse.

O líder também disse que há necessidade de provas materiais e/ou testemunhas para abertura do processo. “A representação apresentada é de uma matéria de jornal, e não apresenta nenhuma prova testemunhal ou material. É preciso que quem fez as denúncias, apresente na sua representação os nomes das pessoas, que vão ser ouvidas, ou qualquer prova material”, afirmou Patrício.


(Visited 1 times, 1 visits today)