Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

Brasileiros nos EUA fazem nova grande manifestação ForaBolsonaro

Postado por Ana Alakija

2/07/2021 20:44


Crédito: #19JForaBolsonaro Boston. Por Marianna Dutra

De Boston – Em solidariedade ao #3JForaBolsonaro que acontecerá amanhã, dia 3, em várias cidades brasileiras, brasileiros e não-brasileiros que moram nos Estados Unidos e apóiam a luta pela democracia no Brasil fazem de novo um grande protesto. A manifestação acontece duas semanas depois da que ocorreu em oito cidades norte-americanas, articulada com o movimento brasileiro e internacional, mirando o impeachment do presidente da República Jair Bolsonaro.

A impensa norte-americana deu destaque aos recentes escândalos revelados na Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a suspeita de corrupção na intenção de compra da vacina Covaxin (India) e produção e distribuição de medicamentos cientificamente comprovados de ineficácia para o tratamento de pacientes com COVID-19.  A leitura social é de que houve intenção deliberada do governo brasileiro em atrasar a vacina antiCovid-19 para alcançar a imunidade de rebanho transformando o governo em uma máquina mortífera ao negar, atrasar e finalmente “facilitar”, sob suspeitas, a compra de vacinas.

Os protestos vão acontecer em Nova York (Union Square, 16h, horário local), Los Angeles (em frente ao Federal Building, 10h, horário local), Austin (aguardando informações), Orlando (Persimmon Hollow Brewery, 227 N Eola Dr., FL32801| 17h, horário local), Boston (Consulado do Brasil, 15h, horário local) e Newark (Ferry St&Adam St, de 11 às 13 h, horário local). A manifestação é organizada por vários grupos abrigados sobre a US-Network for Democracy in Brasil USNDB.

Eco sobre a corrupção

As manifestações nas cidades norte-americanas ampliam o eco do que acontece no Brasil noticiado pela imprensa estadunidense e internacional que circula nos EUA. As mídias estão recheadas diariamente de notícias sobre a crise sanitária no país por conta do descontrole da pandemia do coronavirus pelo governo brasileiro –– Brasil contabiliza mais de  65 mil casos de COVID-19 e mais de 515.000  mortos; a média é de 2000 mortos por dia por complicações daqueles que contraíram o  virus, abaixo apenas das estatísticas dos EUA com 604,000 fatalidades e que tem o dobro da população brasileira. A imprensa também tem reverberado os desdobramentos dos escândalos de corrupção como a megapetição de impeachment do presidente dada entrada na Câmara por partidos de esquerda e de direita.

As acusações de que o presidente Jair Bolsonaro fez vista grossa para uma possível corrupção em um acordo de compra de vacinas contra o coronavírus aumentaram as ameaças à sua presidência, incluindo uma medida para recomendar que ele seja acusado de crime. As reivindicações deram ímpeto à campanha de impeachment da oposição e deixaram os aliados do líder brasileiro no Congresso avaliando os custos de seu apoio.

Veja também aqui a repercussão da suspensão do contrato pelo governo brasileiro da compra da vacina indiana diante das denúncias de corrupção.

E a suspeita de subnotificação de mortos por COVID-19 no Brasil incluindo crianças.

Esses assuntos não têm escapado aos olhos da imprensa hinduísta nos EUA, que tomou partido do laboratório Bharat Biotech nas alegações de tentativa de suborno do governo brasileiro para a aquisição da vacina produzida na Índia. A imprensa econômica registrou o aumento do poder de compra do dólar nos países latino-americanos por conta da pandemia, mas especialmente a queda do Real brasileiro, por conta desses recentes escândalos e da politica agressiva de direitos humanos do presidente Bolsonaro.

Escândalos sucessivos sobre a vacina,  a responsabilização de Bolsonaro sobre a dilapidação da Amazonia como um crime contra a humanidade  e a previsão de Luís Inácio Lula da Silva sobre a derrota de Jair Bolsonaro  nas eleições para presidente da Republica em 2022 são algumas matérias “quentes’ na imprensa estadunidense dos últimos dois dias.

A “azeitona do peru” fica por conta das declarações  da ex voleibolista brasileira Anna Mooser ao Sprout sobre a polarização da política no vôlei: “Em um momento tão triste no Brasil, em que a pandemia está descontrolada, é de suma importância preservar a vida com base na ciência e na solidariedade. Também acredito que as autoridades públicas precisam oferecer oportunidades para dar oportunidades iguais de cidadania aos menos favorecidos”.

Protestos internacionais

Confira aqui os protestos internacionais articulados.

Na verdade, o movimento começou hoje, 2 de julho, na Alemanha, na cidade de Römerberg, em Frankfurt, às 17h. Amanhã acontecerão protestos nas cidades e países de: Alemanha: Geschwister – Scholl- Platz| 11h (horário local), Berlim – Parizer Platz | 12h (horário local) e Humboldt Forum (concentração)| 17h (horário local), Hamburgo Gerhart-Houptmann-Platz | 12h (horário local), Freiburg im Breisgau | 13h (Concentração-Konzerthaus) às 14h (Término-Europaplatz); Àustria: Viena Stephansplatz | 10h ( horário local); Bélgica: Bruxelas – Placede l’Albertine,1000 | 15h ( horário local); Canadá: Quebec – Hôtel du Parlement du Québec| 10h (horário local), Montreal – Monument à George-Étienne Cartier | 15h (horário local), Toronto – City Hall | 15h (horário local), Vancouver – Consulado Geral do Brasil | 11h30 ( horário local); Dinamarca: Aarhus – Mølleparken | 15h (horário local); Espanha: Barcelona – Font de Canaletes (Las Ramblas) 19h – (horário local), Madri – Madrid-rio (toboganes Parque de Arganzuela)| 21h ( horário local), Madri – Picnic Palácio de Cristal no Parque Del Retiro | 18h (horário local); França: Paris – (aguardando informações); Holanda: Amsterdã – Dam 1 | 14h30 (horário local); Irlanda: Dublin – O’connell Street| 11h (horário local); Cork – Daunt Square | 10am (horário local); Italia: Bologna – Piazza di Porta Ravagnane (Duas Torres) | 19h30 (horário local), Roma – Pomponio Leto , 02 | 21h (horário local); Portugal: Braga – Praça da República | 18h ( horário local), Aveiro – Praça do Dr. Joaquim de Melo Freitas | 15h30 ( horário local), Coimbra- Praça 8 de maio| 1h30 ( horário local), Lisboa – Rossio (Praça D. Pedro IV) | 18h (horário local), Porto – (aguardando informações) Porto – Centro Português de Fotografia, Largo Amor de Perdição | 13h30 (horário local); Inglaterra: Londres – Embaixada do Brasil em Londres | 12pm (horário local), e Londres – Parliament Square (estátua de Gandhi) | 15h (horário local); Suiça: Genebra – Place des Nations | 11h ( horário local) e Zürich – Helvetiaplatz |13h30 (horário local). No dia 4 haverá nova manifestação na Itália, Roma – Itália – Piazza San Giovanni | 18h (horário local)

(Visited 1 times, 1 visits today)