Câmara em Pauta Governo cortou 381 mil benefícios no 1º mês do ano no Bolsa Família
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Governo cortou 381 mil benefícios no 1º mês do ano no Bolsa Família

O relatório produzido no mês de janeiro deste ano do programa Bolsa Família aponta que o número de famílias beneficiadas sofreu redução de  381 mil beneficiários em relação a dezembro de 2018. O “corte abrupto, segundo o Ministério da Cidadania,  é fruto de procedimentos que geram cancelamentos por “inadequações”, segundo critério do novo governo, e desligamentos voluntários.

Em dezembro foram pagas 14,1 milhões de famílias. Já no primeiro mês do ano foram 13,7 milhões. O pagamento dos beneficiários começou na sexta-feira, dia 18, e obedece a um calendário que leva em conta o número final de cadastro da família. Janeiro é o primeiro mês do programa sob o governo de Jair Bolsonaro (PSL), que assumiu dia 1º.

O valor pago em janeiro também teve uma pequena redução nesse primeiro mês do governo, segundo o relatório: de R$ 2,6 bilhões, em dezembro, para R$ 2,5 bilhões. O valor médio do benefício foi de R$ 187.

Segundo infirmou o Ministério da Cidadania, a folha de pagamentos do programa apresenta “oscilações mensais de seu quantitativo em virtude dos processos de ingresso de famílias no programa, cancelamentos e manutenções dos benefícios.” O ingresso de novos beneficiários é feito pelas famílias registradas no Cadastro Único para Programas Sociais.

“As manutenções sobre benefícios e, por conseguinte, os cancelamentos estão relacionados aos procedimentos de Averiguação e Revisão Cadastrais, Fiscalização, desligamentos voluntários, descumprimento de condicionalidades ou superação das condições necessárias para a permanência no Bolsa Família”, informa a pasta.

“Estes movimentos de entrada e saída de famílias é que fazem com que o total da folha de pagamentos do programa nunca seja o mesmo quando comparado mensalmente”, completa.

O programa Criado em 2004, o programa federal atende a famílias de baixa renda, especialmente do Nordeste –onde estão metade dos beneficiários do Bolsa Família.

O valor pago a cada família depende de condicionantes como renda per capita e número de filhos, por exemplo. Para garantir a continuidade no programa, as famílias são obrigadas a manterem a frequência escolar e a vacinação em dia dos filhos.

Em entrevista veiculada no portal institucional, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, informou que o programa deve passar um novo modelo de gestão que deve incentivar beneficiários a realizarem capacitações e terem mais acesso a microcrédito. A ideia seria tentar reduzir a dependência das famílias ao benefício de superação à pobreza.

(UOL)

(Visited 1 times, 1 visits today)
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03