Câmara em Pauta Políticas públicas para as mulheres são debatidas em audiência pública
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Políticas públicas para as mulheres são debatidas em audiência pública

Por iniciativa da deputada distrital Rejane Pitanga, a Câmara Legislativa realizou hoje pela manhã audiência pública para discutir políticas públicas para as mulheres com vistas à realização da 3ª Conferência de Políticas Públicas Para as Mulheres e o PR 24/2011 que Cria a Procuradoria Especial da Mulher no âmbito da Câmara Legislativa.

De acordo com a distrital, o objetivo da audiência é propor ações concretas para diminuir a desigualdade social e intensificar o fortalecimento das mulheres. “O debate vai contribuir para a elaboração de políticas que contemplem a construção da igualdade de gênero, na perspectiva do fortalecimento da autonomia econômica, social, cultural e política das mulheres, para a erradicação da pobreza extrema e para o exercício pleno da cidadania das mulheres brasileiras”, disse.

Na avaliação da secretária de Mulheres Olgamir Amância, a consonância dos governos Federal e local vai contribuir para a construção de políticas públicas que rompam com todas as formas de exclusão.

O representante da Procuradoria da Mulher da Câmara dos Deputados Angelo Bosco, reafirmou a importância da implementação da Lei Maria da Penha e destacou o papel da Procuradoria no combate à violência contra mulher. “O enfrentamento da desigualdade e da violência significa dar condição fundamental para uma nação desenvolvida”, afirmou.

Instalada em junho de 2009, a Procuradoria foi fruto da reivindicação da bancada feminina federal. A meta é instalar em todas as Assembleias Legislativas do país uma Procuradoria para conduzir denúncias de violência contra a mulher.

No Distrito Federal, a deputada distrital Rejane Pitanga apresentou projeto de resolução que cria na Câmara Legislativa a Procuradoria da Mulher que servirá de mecanismo para recebimento, exame e encaminhamento de denúncias de violência e discriminação contra a mulher, constituindo uma proposta que contribuirá para o aperfeiçoamento das políticas públicas para as mulheres.

A diretora da Polícia Civil Mailine Alvarenga, apontou os desafios enfrentados pela instituição no combate à violência contra a mulher e disse ser necessário priorizar as ações preventivas nas comunidades do DF. “A segurança pública está envolvida no contexto do enfrentamento da violência contra a mulher. O nosso maior desafio hoje é fortalecer a rede de atendimento como forma de fomentar o número de denúncias”, explicou.

“A aprovação do projeto que cria a Procuradoria da Mulher na Câmara Legislativa, manifesta o reconhecimento da Casa no sentido de extinguir a desigualdade entre homens e mulheres”, destacou a coordenadora do Fórum de Mulheres do DF Ana Liese Thuler, ao avaliar a importância do projeto na discussão acerca da democracia.

Foram recebidas contribuições de entidades ligadas à educação, saúde, mulheres do campo e da floresta, segurança e LGBT.

“Não existe sociedade democrática com desigualdade entre homens e mulheres. O combate à violência não é tarefa somente das mulheres e sim de toda a sociedade, só assim garantiremos a aplicação da Lei Maria da Penha”, finalizou Pitanga.

(Visited 2 times, 1 visits today)
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03