Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

População subnutrida

Postado por Simone de Moraes

1/06/2011 17:05


Crédito:

“Como crianças subnutridas conseguem chegar à universidade?”, é com esse questionamento da Dra. Clara Takaki Brandão, nutróloga e pediatra, presidente da ONG Gênesis, que começamos a entender a importância da questão alimentar na sociedade. Uma alimentação saudável e equilibrada, desde a infância, é fator de transformação social, já que contribui para o desenvolvimento físico e mental dos indivíduos, e logo, de um grupo.

Com intuito de discutir a segurança alimentar nesta quarta-feira (01), foi realizada uma audiência Pública de autoria da deputada Eliana Pedrosa (DEM), no plenário da Câmara Legislativa. A reunião contou com a presença de representantes do governo, da sociedade, e de ONGs. Eliana Pedrosa, vice-presidente da Comissão de Educação e Saúde da Casa, sugeriu o debate após visitar escolas públicas do DF, e constatar a baixíssima qualidade dos alimentos oferecidos aos estudantes.

Eliana Pedrosa questionou a utilização de alimentos enlatados, na merenda escolar. “Tive oportunidade de fazer visitas a algumas escolas e verificamos que ainda está sendo entregue às crianças, alimentação industrializada, como carne moída enlatada, seleta de legumes enlatado, e que é totalmente inadequado”, descreveu.

A deputada diz que esses alimentos foram comprados no governo passado, e que está apelando para que nesta gestão, enlatados não façam mais parte do cardápio escolar. “Além de perderem muitas propriedades nutricionais, estudos apontam que conservantes podem ser indutores de câncer. E as crianças consomem mais açúcares”, observou. Para Eliana Pedrosa, a alimentação é um pilar essencial para o aprendizado e desenvolvimento principalmente das idades mais tenras.

Além da deputada Eliana Pedrosa, propositora da audiência, e da Dra. Clara Takaki Brandão, fizeram parte da Mesa, Maria de Fátima Cruz, subsecretária de segurança Alimentar e Nutricional (Sedest-DF); Valéria Burity, Coordenadora Geral de Apoio à Implantação da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sesan); Rosane Nascimento, coordenadora técnica do Programa Nacional de Alimentação Escolar do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE); Ana Maria Barnech, tesoureira do comitê do SOS Cidadania; Edvaldo de Azevedo Tavares, executivo da Ong Raiz da Vida.

A subsecretária Maria de Fátima, representante do Sedest-DF explicou que o conceito de segurança alimentar significa garantir a todos, sem exceção, independente de faixa etária, o acesso à uma alimentação digna, adequada e saudável, de forma de regular e permanente. “Temos que pensar em assegurar alimentação para as gerações vindouras, que venha a garantir a saúde e a qualidade de vida das pessoas, e principalmente que se respeite a variação da cultura alimentar do país, tendo como fundamento o respeito aos hábitos e culturas alimentares locais”, explicou.

Maria de Fátima ainda explica que o conceito de segurança alimentar está diretamente ligado à sustentabilidade. “Não há como se produzir alimentos suficientes para todo mundo com agressão ao meio ambiente, as estruturas, social, econômica e ambiente, devem estar conectadas”, avaliou. As políticas têm que fazer com que esse amplo conceito, se concretizem, por meio de políticas integradas. “Temos que estabelecer objetivos, metas, formas de atuação e fundamentos comuns com as políticas que têm interface com a segurança alimentar”, completou.

Pessoas que estavam presentes também se inscreveram para fazer uso da palavra, como no caso da técnica de nutrição da Secretaria da Saúde Terezinha Rodrigues. “Lamento não ter a presença de nenhum representante da secretaria da educação”, afirmou. Para a técnica, a rede hospitalar está carente deste tipo de profissionais, já que 263 técnicos aguardam nomeações. “Uma pessoa doente precisa de uma alimentação saudável, balanceada livre de contaminação. O técnico em nutrição é um colaborador do nutricionista, que inclusive vai fiscalizar a produção de alimentos, que hoje é feita por empresas terceirizadas que não são técnicas”, disse.

Eliana falou sobre os principais resultados obtidos com a audiência pública. “Precisamos ousar mais, quebrar paradigmas, e nos abrir a outras propostas, por exemplo, a multimistura, que tem resultados benéficos a toda sociedade”, concluiu dizendo que a Alimentação deve ser visto como o pilar de todas as políticas públicas.

(Visited 1 times, 1 visits today)