Responsive Ad Slot

Postagem de PM que estava a caminho da manifestação pela Educação repercute na CLDF

Postado por Simone de Moraes

22/05/2019 12:28


Crédito: Do Instagram

Quase uma semana depois, a postagem de um policial militar, a caminho de manifestação em defesa da educação na Esplanada dos Ministérios, repercutiu na sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal desta terça-feira (21). No último dia 15, um policial militar publicou em suas redes sociais que estava indo “brincar com os comunas”, numa alusão aos manifestantes.

Na ocasião, o presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Câmara, deputado Fábio Felix (PSOL), divulgou nota repudiando a postagem e cobrando da corporação uma investigação sobre o episódio. Nesta terça-feira, o deputado Hermeto (MDB), policial militar reformado, retomou o assunto e lamentou que toda a corporação tenha sido atacada por causa de um fato isolado. Segundo Hermeto, o policial reconheceu que foi infeliz e cabe agora à corregedoria da PM investigar o caso, com imparcialidade.
O deputado argumentou que os policiais também sofrem agressões durante o exercício de seu trabalho, mas condenou as generalizações. “Ele está errado e vai ser punido de acordo com o erro que cometeu, mas isto é um caso isolado”, completou.

A deputada Arlete Sampaio (PT) classificou a postagem como uma “atitude debochada” e informou que também mandou ofício ao secretário de Segurança pedindo a investigação do caso. “Não é normal que dentro do ônibus fique postando mensagens de que vai brincar com os “comunas”, numa atitude provocadora”, assinalou, acrescentando que todos devem atuar para coibir atitudes que promovam um clima de ódio.

O deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT) considerou a atitude lamentável e disse que vários grupos de policiais consideraram o caso prejudicial à imagem da corporação. Para ele, a corregedoria tem que apurar e dar publicidade a uma eventual penalidade, para que se aprenda com o erro e sirva de exemplo para todos.

O deputado Chico Vigilante (PT) defendeu o diálogo para combater a pregação do ódio. Na opinião dele, o DF deveria ter uma tropa especializada para lidar com manifestações e movimentos, com policiais treinados para esta finalidade. “A polícia não é de nenhum governo. É do Estado e por isso tem que ser democrática”, finalizou.

O deputado Fábio Felix explicou que não pediu a expulsão do policial, mas a investigação do caso. Felix destacou experiência positiva com a PM, durante o acampamento da terra livre, que reuniu indígenas, quando nenhum incidente foi registrado.

 

 

Luís Cláudio Alves

(Visited 1 times, 1 visits today)