Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

Professores dizem que GDF pode atender reivindicação, GDF nega e greve continua

Postado por Simone de Moraes

27/03/2012 16:40


Crédito: Arquivo de Washington Dourado

 

 

Os professores da rede pública de ensino do Distrito Federal decidiram continuar com a greve iniciada no último dia 12 por tempo indeterminado, em assembleia na Praça do Buriti nesta terça (27). Logo após votar pela manutenção da paralisação, os professores fecharam o Eixo Monumental no sentido Esplanada–Memorial JK. Nos últimos dias tem crescido a troca de acusações: o GDF diz que não pode atender e o Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF) diz que não é verdade. Ambos têm pago publicidade em emissoras de Rádio, TV e em jornais, para trocar farpas.

O movimento grevista reivindica reestruturação salarial, com isonomia em relação às demais carreiras de nível superior do GDF. Também pedem implantação do plano de saúde e contratação de docentes recém-aprovados em concurso. Já o GDF alega que o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) impede o atendimento das demandas, sem contar que o secretário de Administração Pública, Wilmar Lacerda já avisou que o governo irá cortar o ponto de quem não for trabalhar.

Enquanto o impasse não se resolve, mais de 500 mil alunos estão sem aula. As informações são de que a greve teve 70% de adesão.

Palavra X Palavra – Leia abaixo a nota do Sinpro sobre o impasse entre a categoria e o governo, onde o Sindicato desmente o comunicado divulgado pelo GDF na mídia.

Em nota sobre a greve dos professores, GDF falta com a verdade

Hoje o GDF bancou em todos os jornais uma grande nota ( clique aqui e leia a nota) sobre a greve dos professores. No texto o Governo faz afirmações inverídicas sobre o que foi feito pela Educação no DF. Os argumentos Oficiais não resistem a uma análise superficial à luz da realidade. Vejamos:

1 – O GDF afirma que concedeu reajuste de 13%83%, o maior do país em 2011.

INVERDADE! Na verdade os professores, depois de muita pressão, conquistaram o reajuste dividido em 3 parcelas, quem em 2011 chegou a 11%, ficando o restante para 2012. Mas esse acordo só foi aceito porque o Governo assinou um documento que até setembro do ano passado entregaria a reestruturação do plano de carreira da categoria, que entraria em vigência a partir do início deste ano. Agora o Governo Agnelo anunciou o calote, rompeu o acordo e afirma que não tem mais reajuste em 2012.

A categoria também refuta a afirmação de que tivemos o reajuste “maior do país em 2011. Na verdade quem teve o maior reajuste do país foi o primeiro escalão do GDF e seus cargos comissionados, com até 115% de ganho salarial.

2 – O GDF afirma que contratou 400 professores efetivos.

INVERDADE! Na verdade nomeou somente 324 professores efetivos e hoje a verdade é que a Rede Pública precisa de mais de 3000 professores para normalizar todas as atividades pedagógicas.

3 – O GDF afirma que está implantando a Gestão Democrática nas escolas.

INVERDADE!  Até agora a única coisa que fez foi aprovar a Lei, mesmo assim depois de muita pressão do sindicato. De lá para cá praticamente nada foi feito para implantar a verdadeira gestão democrática nas escolas.

4 – O GDF afirma que aumentou em 55% o valor do auxílio alimentação.

MEIA VERDADE! Mas isso foi para todos os servidores do GDF e o fim a contra partida foi no Governo anterior.

5 – O GDF afirma que REFORMOU 300 escolas, quase a metade de toda a rede pública.

INVERDADE!  Na verdade fez pequenas pinturas, capina e reparos, sem “reforma” estrutural. Enquanto isso tem muitas escolas “caindo aos pedaços” sem nenhuma previsão de uma verdadeira reforma.

6 – O GDF afirma que aprovou pagamento dos professores contratados temporariamente nos moldes dos professores efetivos.

MEIA VERDADE: O valor da hora-aula realmente foi reajustado, mas a forma de pagamento continuou sendo por hora, com contrato precarizado, da mesma forma do Governo anterior.

7 – No último item da nota o GDF fala sobre a oferta de cursos de formação.

FALTA ACONTECER: A verdade é que a proposta de formação do GDF aos professores é até boa, só falta começar na prática.

Diante de todas estas inverdade ou verdades incompletas, falta ao Governo admitir a verdadeira verdade:

A VERDADE é que o Governador descumpriu a proposta feita à categoria ainda durante a eleição;

A VERDADE é que o GDF quebrou o acordo assinado com a categoria no ano de 2011;

A VERDADE é que o GDF tem 285 milhões do Fundo Constitucional que pode ser remanejado para reajuste na Educação, mas que o Governo prefere não fazê-lo, tudo porque na avaliação dos Governistas, ao conceder reajuste aos professores terá que fazer acordos com as outras categorias;

A VERDADE é que o GDF tem 189 milhões para gastar com publicidade neste ano;

A VERDADE é que o GDF não prioriza Educação;

A VERDADE é que nas escolas faltam professores, merenda de qualidade, melhoria na infraestrutura, sistema de informática, materiais pedagógicos;

A VERDADE é que até agora a categoria não conhece nem mesmo qual será o projeto pedagógico do Governo atual.

O FATO é que a categoria dos professores tem história de luta, de coragem, de determinação e nós vamos vencer a intransigência de um Governo que até agora não foi capaz de estabelecer uma relação com quem sempre acreditou na mudança em relação aos Governos anteriores.

Atenciosamente

Washington Dourado – Diretor do Sinpro

(Visited 1 times, 1 visits today)