Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

Continua o silêncio sobre o “Caso Pedrosa”

Postado por Simone de Moraes

9/12/2011 16:02


Crédito:

Informações extra oficiais. Foi tudo que a reportagem do Câmara em Pauta conseguiu na manhã de hoje, quando esteve na 9ª Delegacia de Polícia, no Lago Norte. O delegado George Estefani de Souza do Couto que investiga o caso, estaria mais uma vez em reunião e não nos atendeu, se comprometendo a retornar o contato e remarcar a entrevista. 

Numa conversa em off com uma das agentes, conseguimos descobrir que Eduardo Pedrosa, sobrinho da deputada distrital Eliana Pedrosa, ainda não se apresentou na nona para prestar depoimento e que o inquérito não tem período específico para ser finalizado. Aguardamos agora novo contato do delegado George, que ontem à tarde por telefone, confirmou que nos atenderia a partir das 10h desta sexta (09), para ter acesso a maiores detalhes do caso.

A 9ª  DP ainda não fez nenhum pronunciamento oficial sobre o caso, nem o delegado- assistente George Estefani, responsável pelas investigações, nem a delegada titular, Nélia Maurício Pires Lopes Vieira falaram sobre o caso. O resultado da perícia deve sair em até 30 dias.

Caso Pedrosa – No último sábado (02), Eduardo Pedrosa se envolveu em acidente com vítima fatal, mas foi levado ao hospital antes mesmo da chegada da polícia. O acidente foi na ponte do Bragueto, sentido Sobradinho-Plano Piloto e a universitária Laís Cristina Pimenta Luiz de 21 anos morreu ao ter seu carro, um Escort, atingido por trás pelo Azera conduzido por Eduardo.

A violência da batida fez com que o carro de Pedrosa ultrapassasse o de Laís, depois de bater. De acordo com reportagem publicada pelo Correio Braziliense, pedaços do carro da moça ficaram espalhados por cerca de 1 km da pista.

Denúncias – O Câmara em Pauta tem recebido denúncias em off, de pessoas que dizem ter passado no local na hora da batida. Há contradições entre os depoimentos, mas a maioria afirma que Laís estaria com o carro parado, com o triângulo indicando problemas mecânicos e que Eduardo dirigia em alta velocidade.

De acordo com informações da Polícia Militar no dia do acidente, o rapaz dirigia em alta velocidade e foi levado para o hospital sem fazer o teste do bafômetro. Agentes do Centro Integrado de Atenção e Despacho (Ciade), afirmaram que em casos como este, a prioridade é salvar os feridos, sejam eles motoristas ou passageiros.

Eduardo foi levado ao Hospital de Base do DF e recebeu alta, horas depois do acidente. Não temos notícia do paradeiro do rapaz.

(Visited 1 times, 1 visits today)