Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

Deputado bolsonarista é condenado a pagar R$ 50 mil a jornalista Patrícia Campos

Postado por Simone de Moraes

20/07/2021 15:03


Crédito: Reprodução

André Fernandes (Republicanos) deputado estadual do Ceará, bolsonarista ferrenho, foi condenado a indenizar a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S. Paulo, em R$ 50 mil por ataques machistas dirigidos à profissional de imprensa. A decisão de primeiro grau foi proferida nesta segunda-feira (19/7) pelo juiz Vitor Frederico Kümpel, da 27ª Vara do Foro Central Cível de São Paulo.

A jornalista Patrícia Campos Mello foi a autora das reportagens publicadas pela Folha de S.Paulo que denunciou, revelou e detalhou o esquema criminoso, bancado por empresários, de disparo de mensagens anti-PT nas eleições de 2018. O principal beneficiado pelo esquema foi Jair Bolsonaro, então candidato à presidência da República.

Os ataques de André Fernandes foram feitos no mesmo dia em que Hans River, funcionário de uma das empresas de disparo de mensagens e fonte da reportagem, prestou depoimento na CPMI das Fake News no Congresso e disse falsamente que Mello teria oferecido sexo em troca de informações, que utilizaria na reportagem.  A Folha demonstrou que o depoimento de River foi mentiroso.

O deputado afirmou no Twitter: “Se você acha que está na pior, lembre-se da jornalista do folha de SP que oferece SEXO em troca de alguma matéria para prejudicar Jair Bolsonaro. Depois de hoje, vai chover falsos informantes pra cima desta senhora. Força, coragem e dedicação Patrícia, você vai precisar!”. Depois também escreveu: “Sou tão inocente, que até hoje pensava que FURO JORNALÍSTICO se tratava de outra coisa…”. (…)

Em janeiro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho 03 de Bolsonaro, foi condenado a indenizar a jornalista em R$ 30 mil, por dizer que ela “tentava seduzir [fontes] para obter informações que fossem prejudiciais ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido)”.

Em março, Jair Bolsonaro também foi condenado a pagar R$ 20 mil por atacar a jornalista de forma machista ao dizer que “ela queria, ela queria um furo. Ela queria dar o furo [risada geral] a qualquer preço contra mim”.

Em abril, foi a vez de Hans River ser condenado em R$ 50 mil por dizer na CPI das Fake News que Campos Mello queria “um determinado tipo de matéria a troco de sexo”.

 

Do Jota

(Visited 1 times, 1 visits today)