Câmara em Pauta Preso em protesto contra Temer, fotografo foi preso pela polícia de Geraldo Alckmin
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Preso em protesto contra Temer, fotografo foi preso pela polícia de Geraldo Alckmin

Permanece preso um dos três manifestantes detidos ontem (11) durante ato contra o presidente Michel Temer na capital paulista, pela polícia de Geraldo Alckmin. Ele é fotógrafo, tem 41 anos e foi indiciado por dano, resistência e lesão corporal pela Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo (SSP). O manifestante deverá passar ainda hoje (12) por uma audiência de custódia, quando um juiz vai verificar a legalidade da prisão.

Dois estudantes, um de 17 e outro de 25 anos, que também foram detidos no protesto, foram liberados ontem após assinarem um termo circunstanciado. De acordo com a SSP, eles foram presos durante um princípio de tumulto, quando “manifestantes começaram a arremessar objetos contra os policiais”.

A secretaria afirma que eles portavam armas brancas e drogas. As imagens divulgadas ontem pela Polícia Militar sobre as detenções mostravam, como objetos apreendidos nas prisões, máscaras, bolas de gude, uma faca de mesa, um soco inglês e um triturador de fumo.

Organizada pela Frente Povo Sem Medo e pela Frente Brasil Popular, mas com adesão de diversos grupos, a manifestação saiu da Avenida Paulista, às 17h30, e seguiu em passeata até o Parque do Ibirapuera, onde chegou às 19h30. Entre os participantes, estava o prefeito Fernando Haddad (PT).

Houve um início de tumulto durante a detenção, com correria entre participantes da manifestação. O ex-senador petista Eduardo Suplicy, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) se aproximaram para mediar o conflito. Com a intervenção dos parlamentares, a situação logo voltou ao normal.

Representação à OEA

O senador Lindbergh Farias disse que há uma representação já pronta para ser entregue à Corte Interamericana de Direitos Humanos, da Organização dos Estados Americanos (OEA), sobre a atuação policial nas manifestações.

Segundo o senador, a representação tem dados das últimas manifestações e a intenção é que a Corte se posicione sobre a questão. Lindbergh falou sobre um caso divulgado pela imprensa, em que um militar do Exército estaria infiltrado e disfarçado entre manifestantes, no dia em que mais de 20 pessoas foram detidas no Centro Cultural São Paulo sem que nenhum crime tivesse sido cometido.

(Visited 2 times, 1 visits today)
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03