Câmara em Pauta Distritais ouvem sugestões de empresários para superar crise no DF
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Distritais ouvem sugestões de empresários para superar crise no DF

Maior agilidade na concessão de alvarás de funcionamento e "habite-se", revisão do Código de Obras e o recebimento imediato das dívidas contraídas pelo governo passado foram algumas das principais reivindicações apresentadas, na tarde da última segunda-feira (25), na Câmara Legislativa, por vários representantes de entidades patronais do comércio que participaram da segunda reunião com deputados distritais e federais que integram, como eles, a Frente "Brasília sem crise".

Na reunião, os empresários receberam dos deputados distritais a garantia de que eles não irão aprovar projetos do Executivo que onerem ainda mais o setor produtivo. A presidente da Câmara Legislativa, deputada Celina Leão (PDT), uma das coordenadoras do debate, enfatizou que, acima das diferenças políticas e partidárias, os deputados distritais irão apresentar ao governador as sugestões apresentadas pelos empresários, para que a cidade possa superar a grave crise que enfrenta nos dias atuais.

O líder do PT, Chico Vigilante (PT), cobrou a apresentação pelo governo de um calendário de pagamentos para os empresários e criticou as feiras itinerantes que vêm de fora para o DF sem recolher impostos. Já a deputada Sandra Faraj (SD) sugeriu que o GDF também participe das discussões da Frente com alguns dos seus secretários, a fim de agilizar o atendimento de muitas das reivindicações consensuais, pelos participantes do grupo.

O deputado Raimundo Ribeiro (PSDB) ressaltou que a situação de crise "é inédita", defendendo que o governo tem que ouvir o setor produtivo. "Temos que assumir o compromisso de que nenhum projeto aprovado aqui para o governo superar a crise pode trazer aumento de impostos", pregou o deputado Wellington Luiz(PMDB).

O deputado federal Rôney Nêmer (PMDB/DF) defendeu a descentralização do processo de liberação dos alvarás, com uma das medidas que poderá incentivar o crescimento econômico do DF. "Este governo está como um transatlântico à deriva", criticou o deputado distrital Renato Andrade (PR)". Já Rodrigo Delmasso (PTN) defendeu maior agilidade na liberação de alvarás de funcionamento para o comércio, lembrando inclusive que o DF é hoje a 4ª unidade da federação com maior desemprego.

Projetos estruturantes – Líderes empresariais representando quase todos os setores produtivos do DF foram unânimes em defender medidas que garantam o retorno do crescimento econômico do DF. O presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, propôs que o governo local aproveite a crise para aprovar "projetos estruturantes", mas lembrou que muitas das medidas teriam que ter o aval também do governo federal. Santana defendeu, por exemplo, o reconhecimento legal da Região Administrativa do DF (Ride).

O vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF), João Carlos Pimenta, criticou a proposta do governo de aumentar a alíquota do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) – o que, segundo analisou, irá sacrificar ainda mais o setor que se encontra em crise.

O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Antônio Silva, cobrou do governo o cumprimento da "Lei do Corujão", reclamando que as linhas de ônibus não estão circulando no horário noturno, como previsto. Representantes de outros sindicatos cobraram solução para o problema de falta de estacionamento e também de segurança para os comerciantes e frequentadores do comércio.

 
 
 
 
Zildenor Ferreira Dourado
(Visited 1 times, 1 visits today)
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03