Responsive Ad Slot

Em aula de Janaína Paschoal, alunos penduram cartaz com a palavra ‘golpista’

Postado por Luan

14/05/2016 17:26


Crédito: Reprodução da Folha

Angela Boldrini na Folha – Alunos da Faculdade de Direito da USP fizeram uma intervenção contra a professora Janaína Paschoal, uma das autoras do pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, cuja abertura resultou no afastamento da petista.

Um grupo de cerca de 15 pessoas pendurou um cartaz com os dizeres “golpista” na sala onde a professora ministra uma disciplina optativa de direito penal, no ínicio da tarde.

Segundo estudantes ouvidos pela Folha, houve conflito com os alunos da matéria, que tentaram retirar o cartaz.

“A gente tinha colado o cartaz na mesa, mas os alunos tiraram, aí a gente colou de novo”, afirma uma das alunas que participou da intervenção. Os alunos que falaram à reportagem pediram para não ser identificados.

O grupo pretendia concluir a intervenção antes da chegada da professora, mas com o entrevero com os alunos, cruzou com Janaína na entrada da sala.

“Quando ela chegou, disse ‘deixa eles fazerem isso, não tem problema'”, afirma outro dos estudantes. “Ela está se colocando numa posição de vítima, é politicamente muito esperta.”

Nenhum dos estudantes ouvidos é atualmente aluno de Paschoal, mas alguns fazem parte do “Comitê da São Francisco Contra o Golpe”, criado na faculdade há cerca de dois meses, com o objetivo, segundo os alunos, de fazer ações contrárias ao afastamento de Dilma.

A ação desta sexta foi pensada, segundo os estudantes, apenas duas horas antes da realização. “Está acontecendo tudo muito rápido, a gente precisa de mais ações diretas”, afirmou um dos membros do grupo. É a primeira intervenção do tipo em aulas da professora este ano, segundo eles.

DINÂMICA

Procurada pela Folha, a advogada afirmou não ter retirado o cartaz por “não se sentir confortável”. No entanto, ele teria sido removido depois da primeira aula, por iniciativa de alguns alunos da matéria.

“Eu não posso cercear o direito de manifestação nem de uns, nem de outros. Alguns alunos se sentiram magoados com o cartaz”, diz.

“Essa é a dinâmica normal da faculdade, de embate”, diz. “Mas o pessoal do PT tava muito acostumado a só eles poderem se manifestar.”

A docente é polêmica na São Francisco (veja vídeo) antes mesmo de se tornar notória por pedir o afastamento de Dilma Rousseff. “Alguns alunos chegavam e diziam ‘nossa, professora, achei que você fosse muito pior'”, ri.

Ela ficou conhecida por fazer discursos inflamados quando defende o processo de afastamento da presidente –o mais famoso, proferido em 5 de abril na própria faculdade, virou meme.

Alguns de seus críticos na faculdade afirmam que há uma “blindagem” à professora por ser mulher. Segundo eles, as críticas a ela costumam ser tachadas de machismo.

Para Janaína, o mesmo se aplica à presidente Dilma. “Acho que há um ressentimento por ela ser a primeira presidente mulher eleita. Ela não pode ser perseguida por ser mulher, mas também vamos protegê-la por ser mulher?