Responsive Ad Slot

Adail Carneiro admite ter votado por pressão do PP

Postado por Luan

19/04/2016 13:17


Crédito: Reprodução

Do Jornalistas Livres

Esse é o retrato da canalhice que aconteceu no domingo. Adail Carneiro (PP-CE) almoçou com a Presidenta Dilma, no Palacio da Alvorada, ao lado do Governador Camilo Santana (PT-CE) e do ex-governador Cid Gomes, ocasião em que reafirmou o apoio a ela, assegurando que votaria contra o impeachment por convicção. Saiu de lá 13h30 para a Câmara Federal, e lá consumou a traição. Entrevista à repórter Ana Paula Lima, da Rádio O Povo/CBN de Fortaleza.

Escute a gravação:

“Pra ser muito franco, eu eximo a responsabilidade que foi colocada como motivo para cassação, para a instalação do processo de impeachment, para cassação da presidente Dilma.

Eu discordo do parecer do relator Jovair Arantes, do deputado. Parte do que eu li é que me levou à impressão de que não houve crime fiscal praticado pela presidente Dilma.

Se todos os políticos que têm a oportunidade de falar com o povo expressasse o seu verdadeiro sentimento, a nossa política não estava tão descredibilizada quanto está hoje.

Quero garantir a vocês que até as 17h de ontem, mesmo sabendo que eu ia ficar contra uma maioria esmagadora de 75 a 80% dos pedidos que recebi através das redes sociais, das sugestões que me fizeram de que eu votasse contra o impeachment, eu só resolvi votar a favor do impeachment a partir das 17 horas de ontem, por consequência de já a quinta reunião acontecida com a executiva nacional do partido.

Eu fui assediado pelo partido, pela direção nacional do partido, envolvendo o presidente e os demais membros que são também de grande importância para a sustentabilidade desse partido.

Daí numa conversa com presidente, com vices-presidentes, tesoureiros, secretários, enfim, toda a cúpula da executiva, acabaram me convencendo pra que eu noa viesse a ser prejudicado dentro do partido, que fazia ontem apenas 19 dias que eu estava nesse partido.

Eu tomei essa decisão muito dura, ponderando a minha relação com o governador Camilo Santana, com o ex governador Cid Gomes, com o ex-presidente da Assembléia Cesinha Albuquerque, acabei de participar de uma relação bem especial com o Antônio José que é o vice presidente do partido no Estado do Ceará.

Mas eu quero dizer pra vocês que foi uma decisão árdua, porém necessária pra minha sobrevivência do partido.”