Educação, chave para evitar crise hídrica no DF, diz especialista

O professor citou o uso excessivo de água nos estabelecimentos comerciais para o agravamento da situação da cidade, aliado ao uso inadequado pelos moradores. “Os abatedouros de frangos retiram água de poços artesianos. Em média, se produz 60 mil frangos por ano, cada um desses gastando 15 litros de água na limpeza, por baixo”, diz. “O Lago Sul tem um gasto médio por habitante de 700 litros/dia, quando o normal é que se gaste cerca de 150 litros. O indivíduo vai encher piscina, lavar calçada, é um uso perdulário da água. Nós não vamos conseguir mudar o regime hídrico da região dessa forma”.

Adasa sugere tarifa de contingência para estimular economia de água

A crise hídrica por que passa o Distrito Federal poderá pesar no bolso do brasiliense. Em comissão geral realizada na Câmara Legislativa na tarde desta quinta-feira (29), a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) anunciou tarifa de contingência para incentivar a economia de água. Com a medida, a conta poderá aumentar em até 40%, variando de acordo com a categoria do consumidor e a faixa de consumo. Resolução sobre a matéria ainda será discutida em audiência pública na próxima segunda (3).