Relator recomenda julgamento de Bolsonaro no Conselho de Ética

Deputado Odorico Monteiro (PROS-CE), relator da representação do PV contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) no Conselho de Ética, apresentou seu parecer ao colegiado recomendando que a denúncia seja aceita e que o parlamentar seja processado por quebra de decoro. Como houve pedido de vista do parecer do relator, a votação foi adiada por duas sessões do colegiado.

Amigo de Cunha, Ronaldo Fonseca ganha mais tempo na CCJ para entregar parecer

O relator do caso de Eduardo Cunha na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF), amigo pessoal do deputado e membro da mesma igreja, tinha até a próxima sexta-feira (1º) para emitir o parecer na defesa que o peemedebista entregou como recurso ao colegiado, em que elenca 16 argumentos que justificam a anulação total ou parcial do processo. Porém, desde ontem (28), Fonseca a mando de Cunha alega que precisa de mais tempo, “pois o recurso é muito longo”. Após encontro com o relator, o presidente da CCJ, Osmar Serraglio, autorizou que o documento seja apresentado na segunda-feira (4) e terça-feira (5).

Processo contra Bolsonaro por apologia à tortura é instaurado na Câmara

Mesmo sem quórum, com apenas quatro deputados na sala da reunião marcada para hoje (28), o presidente do Conselho de Ética, deputado José Carlos Araújo (PR-BA), instaurou processo contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). No prazo de duas sessões, Araújo disse que anunciará o nome do relator do caso a partir de uma lista tríplice que inclui os nomes de Zé Geraldo (PT-PA), Valmir Prascideli (PT-SP) e Wellington Roberto (PR-PB). O parlamentar é acusado, de acordo com uma representação do Partido Verde, de apologia ao crime de tortura.

“Estou absolutamente convicto de que eu não menti”, diz Cunha

O presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse hoje (21) que “Estou absolutamente convicto de que eu não menti” e que está tendo o direito de defesa cerceado. O deputado marcou uma coletiva de imprensa às 11h, no Hotel Nacional em Brasília, com o objetivo, segundo ele, de retomar “a comunicação direta com os veículos de comunicação”.

Mentindo como sempre, Cunha diz que não mentiu na CPI e vai recorrer à CCJ

Mesmo após o relator Marcos Rogério (DEM-RO) ter recomendado a cassação de mandato no Conselho de Ética, o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), voltou a afirmar hoje (1º) que não mentiu durante depoimento que prestou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, quando disse que não tinha contas no exterior.

Parecer sobre cassação de Eduardo Cunha é entregue no Conselho de Ética

O parecer do relator Marcos Rogério (DEM-RO) que trata do pedido de cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi entregue há pouco ao presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, José Carlos Araújo (PR-BA). O relatório foi finalizado após quase seis meses, desde que as investigações contra o ex-presidente da Câmara foram iniciadas.

Cunha nega tudo na Comissão de Ética e diz que a culpa é do cartão de crédito da esposa

Em um depoimento marcado por negações, o presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) negou hoje (19) ter sido beneficiado por repasses em contas no exterior feitas pelo empresário Ricardo Pernambuco Júnior, da Carioca Engenharia. E durante o depoimento, Cunha disse que gastos feitos no exterior teriam sido pagos com cartão de crédito da esposa dele e que, portanto, não poderia ser responsabilizado por isso no processo que corre no Conselho.

Eduardo Cunha entrega o impeachment, e deve receber ‘anistia’ em troca

O temido efeito colateral do impeachment da presidenta Dilma no Congresso já está em curso. O deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que agiu como o maior antagonista ao Governo, ganhou ares de vitorioso neste domingo. E agora sua bancada informal quer retribuir o serviço prestado. O peemedebista é réu no Supremo Tribunal Federal por seu envolvimento na Lava Jato, e está sob o risco de perder seu mandato no Conselho de Ética por ter mentido na Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras, onde ele negou ter contas no exterior. Se isso acontecer, ele perderia o direito ao foro privilegiado, e poderá ser julgado pelo implacável juiz federal Sérgio Moro.