Funcionário público, Carlos Fernando, faz postagem provocando deputado Pimenta

Provocação do procurador veio justamente após o deputado criticar as delações da JBS e protocolar, na CMPI da Câmara, o conteúdo dos áudios do ex-advogado da Odebrecht, Tacla Duran, em que denuncia o modo como delações premiadas tem sido obtidas pelo MPF e como planilhas e extratos são manipulados. “Ainda não nasceu o procurador que vai me intimidar”, rebateu Pimenta

Câmara rejeita denúncia contra Temer por 251 a 233 votos

O parecer votado hoje foi apresentado pelo deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que  recomendou a inadmissibilidade da autorização da Câmara para que STF iniciasse as investigações contra o presidente e os ministros. O parecer já tinha sido aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) por 39 votos a 26, além de uma abstenção.

Dia de votação da segunda denúncia contra Temer e ministros

Temer é denunciado pelos crimes de obstrução da Justiça e organização criminosa. No mesmo processo, são denunciados ainda os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência, por organização criminosa.

Terça-feira gorda no Palácio do Planalto

Palácio do Planalto avalia ter cerca de 240 votos na Câmara contra denúncia e faz esforço de nomeações e quitação de emendas para ampliar placar e manter a governabilidade na Casa

Câmara vai analisar mudanças na legislação de planos de saúde para idosos

Pela legislação vigente, os planos de saúde podem reajustar o valor da mensalidade do beneficiário a cada mudança de faixa etária. Atualmente, são válidas dez faixas cronológicas, a primeira até 17 anos e a segunda a partir de 18 anos, mudando a cada 4 anos de forma subsequente. A última referência se encerra aos 59 anos, quando os planos são autorizados a aumentar em até seis vezes o valor da mensalidade em relação ao valor da parcela da primeira faixa de idade.

MP que reduz tributação de petróleo e gás e prejudica industria nacional é aprovada

A MP foi alvo de debate acalorado entre os parlamentares. Para a oposição, as mudanças prejudicam a indústria brasileira do setor. Já os governistas, que conseguiram maioria para encerrar a discussão e derrubar os requerimentos de adiamento da votação, argumentam que a proposta trará mais segurança para as empresas de petróleo e gás, o que aumentará os investimentos na área.