Câmara em Pauta Depois do discurso de Rollemberg, muitas criticas dos distritais
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Depois do discurso de Rollemberg, muitas criticas dos distritais

Tão logo o governador Rodrigo Rollemberg deixou o plenário da Câmara Legislativa nesta quarta-feira (1º), os deputados distritais fizeram questão de comentar sua fala e criticar sua prestação de contas. Alguns com muita ironia.

“Não posso brigar com fatos. Faço um convite ao governador para dar uma saidinha até a Rodoviária ou a W3 para falar com o povo e ver a situação”, disse o deputado Raimundo Ribeiro (PPS), após classificar o governo como “medíocre”. O distrital destacou, em especial, um ponto do discurso de Rollemberg, quem disse haver criado mais de 200 vagas no presídio feminino. “O sistema prisional tem um déficit de 8 mil lugares no DF, os presídios estão superlotados, com o dobro de presos do que é recomendado “, afirmou.

Chico Vigilante (PT) foi além, elencando diversos avanços que, segundo ele, teriam sido iniciados ou produzidos durante o governo Agnelo, e não pelo governo atual. “As creches foram todas construídas pelo Agnelo; os 17 terminais também foram licitados no governo anterior”, apontou. O petista criticou também o argumento de “herança maldita”: “Estamos entrando no terceiro ano de governo, nunca vi herança tão longa”.

Esse argumento também foi criticado pela deputada Celina Leão (PPS): “É muito triste ouvir falar de ‘herança maldita’ no terceiro ano de mandato”. A distrital disse que, nos últimos anos, 17 mil empresas foram fechadas no DF e que gostaria de ter ouvido de Rollemberg o que será feito nos próximos anos. “Tenho respeito pelo governador, mas estamos num momento de reflexão: por que o isolamento político de quase todos os partidos da cidade? Se ele tiver humildade, boa vontade e respeito, dará conta de construir projetos junto com a Casa”, ponderou.

Com relação ao balanço da situação financeira “herdada” do governo anterior, o deputado Wasny de Roure (PT) questionou o cenário relatado pelo governo com a apresentação de diversos números. De acordo com ele, a receita tributária do DF subiu de R$ 12,6 bilhões em 2014 para R$ 13,1 bilhões em 2015 e, em 2016, ainda cresceu para R$ 14,3 bilhões – correspondendo a um incremento de cerca R$ 1,7 bilhão no período. “Num quadro de crise, não é um rendimento ruim”, argumentou. O distrital apresentou ainda incrementos nas receitas de contribuição e patrimonial do GDF e defendeu superávit para a quitação de dívidas anteriores.

 

 

 

Denise Caputo – CCS
(Visited 1 times, 1 visits today)
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03