Câmara em Pauta Brasília vai receber mostra de filmes dirigidos só por mulheres
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Brasília vai receber mostra de filmes dirigidos só por mulheres

Brasília sediará uma mostra de filmes dirigidos exclusivamente por mulheres a partir da próxima quarta-feira (23). Até 4 de abril, a Mostra Edital Carmen Santos – Cinema de Mulheres e Filmes Convidados exibirá nove curtas e seis médias-metragens premiados pelo Ministério da Cultura (MinC) e sete longas-metragens de cineastas brasileiras.

As sessões, gratuitas, ocorrerão às 17h, 19h e 21h (segundas, quartas, quintas e sextas-feiras) e às 16h, 18h e 20h (sábados e domingos), no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Na terça-feira (22), haverá abertura oficial com a presença do ministro da Cultura, Juca Ferreira.

A mostra é uma iniciativa da Secretaria do Audiovisual do MinC, do CCBB e da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos. O evento dá visibilidade às produções contempladas, em 2013, no Edital Carmen Santos Cinema de Mulheres, que teve como objetivo apoiar a produção de médias e curtas-metragens assinados e dirigidos por mulheres. O edital teve investimento, ao todo, de R$ 988.492,56.

Além dos curtas e médias contemplados pelo edital, o público poderá apreciar sete longas-metragens: Califórnia, de Marina Person; Elena e Olmo e A Gaivota, ambos de Petra Costa; Que horas ela volta?, de Anna Muylaert; Amor, plástico e barulho, de Renata Pinheiro; De gravata e unha vermelha, de Miriam Chnaiderman; e Poeira & batom no Planalto Central, de Tânia Fontenele.

Na programação, também estão previstas duas conversas abertas ao público. A primeira delas, Brasília Debate Cinema de Mulheres, ocorrerá em 30 de março e contará com a presença de diversas cineastas da capital federal. A segunda, Debate com Diretoras da Mostra, será realizada em 1º de abril e trará reflexão sobre a importância de ações voltadas para mulheres no audiovisual e o processo de produção de seus filmes. Os debates serão realizados logo após as sessões das 19 horas, também com entrada franca.

O secretário do Audiovisual do MinC, Pola Ribeiro, explica que a Mostra é um momento de reflexão e de referência, que vai ao encontro de uma política brasileira que está sendo desenvolvida e protagonizada por mulheres. “Ao mesmo tempo em que a Mostra coroa um projeto bem-sucedido, dialoga com esse movimento de mulheres que tem dado protagonismo nas (diversas) políticas, (como) a de igualdade de relações de trabalho”, afirmou.

À frente da produção e viabilização da mostra, a coordenadora de programas e projetos da SAv, Lina Távora, participou da produção do edital de 2013. “Ao ver o resultado, vemos um cinema que é múltiplo e que aborda questões fundamentais para nossa sociedade, que ainda é desigual”, comenta.

Presença feminina no audiovisual

No audiovisual, assim como em outros setores, a presença da mulher ainda é menor que a do homem. Segundo estudo divulgado em março deste ano pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), a maioria dos filmes brasileiros lançados em 2015 foram dirigidos exclusivamente por homens (74%). As mulheres foram responsáveis por 19% das produções. Os demais filmes (7%) tiveram direção conjunta entre homens e mulheres.

Em outros cargos técnicos, a situação se mantém. Entre os roteiros, 65% foram produzidos por homens, 23%, por mulheres e 12%, por pessoas de ambos os sexos. Já entre os produtores-executivos, 47% foram homens e 41%, mulheres. Os demais filmes (12%) foram produzidos conjuntamente por homens e mulheres.

Filmes premiados

A mostra exibirá nove curtas e seis médias resultantes do Edital Carmen Santos 2013. São eles: Atadas, de Tarsila Venancio Nakamura; Mulher Movente, de Beatriz Taunay da Graça Couto; Prelúdio, de Julia Peres; Como era gostoso o meu príncipe, de Fernanda de Paula Silva; A Festa da Joana, de Vera Milhome Vasques; Na minha sopa não, de Mirela Kruel Bilhar; Os anseios das cunhãs, de Regina Lúcia Azevedo de Melo; Fábula de vó Ita, de Thallita Oshiro e Joyce Prado; Papéis de Adélia, de Ludmilla Rossi de Oliveira (curtas-metragens); Ou isso ou aquilo, de Hadija Chalupe da Silva; De menino, de menina, de Angélica Muniz Valente; A batalha das colheres, de Fabiana de Lima Leite; Quem matou Eloá?, de Lívia Perez de Paula; Viver de mim, de Juily Manghirmalani; e Corpo Manifesto, de Julia Bahia Bock e Carol Araújo (médias-metragens).

(Visited 1 times, 1 visits today)
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03