Câmara em Pauta Por ordem de Rollemberg, Policia Militar do DF prende quatro professores
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Por ordem de Rollemberg, Policia Militar do DF prende quatro professores

Em pleno Dia do Servidor Público, a luta dos(as) professores(as) por direitos adquiridos e pelo cumprimento das leis virou caso de polícia.

A truculência aconteceu em mais um ato de protesto, nesta quarta-feira (28), contra a intransigência do governo Rolemberg em não negociar com a categoria em greve e não apresentar uma solução para o pagamento de reajuste ao Magistério Público do DF.

Professores(as) bloquearam as saídas de Brasília nos Eixões Norte e Sul da cidade numa tentativa de denunciar à sociedade o descaso do governador Rollemberg com a Educação e fazer com que ele apresente uma proposta respeitosa para ser apreciada pela categoria em assembleia geral.

A Polícia Militar, que tem como comandante em chefe o governador Rollemberg, agiu com muita “eficiência”. O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) chegou à saída sul, na altura da quadra 116, atirando bombas de gás, spray de pimenta e disparando balas de borracha em todas as direções para acabar com o protesto.

Vários(as) professores(as) tiveram que procurar auxílio médico.

Além do pânico provocado pela ação policial, seis manifestantes foram presos e encaminhados à 1ª Delegacia de Polícia, entre eles os diretores do Sinpro-DF Meg Barbosa Guimarães e Gabriel Magno, e outros dois professores.

Foram também detidos dois representantes da categoria dos rodoviários que davam apoio ao protesto.

A diretoria colegiada do Sinpro-DF condena com veemência o que considera um massacre contra servidores que, legitimamente, lutam por seus direitos. Uma ação truculenta e irresponsável por parte do Estado – que deveria assistir e proteger os cidadãos.

Em solidariedade aos professores, a CUT Brasília e Sindicato dos Rodoviários fecharam acessos à Rodoviária do Plano Piloto. O presidente da Central, Rodrigo Britto, disse que “este é o presente que Rollemberg dá para os profissionais da Educação”.

Dezenas de professores(as) se aglomeraram em frente à 1ªDP enquanto aguardavam a chegada dos advogados do Sinpro-DF. Também compareceram os deputados Veras e Ricardo Vale, além do secretário da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa, Hamilton Pereira.

Após mais de duas horas detidos, os manifestantes foram enfim liberados por volta das 21h. A diretora Meg teve que ser encaminhada ao Instituto Médico Legal – IML para fazer exame de corpo de delito, vez que ficou ferida durante a desastrada ação da polícia.(SInpro-DF)

(Visited 1 times, 1 visits today)
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03