Câmara em Pauta Secretaria decide não fechar Sala de Recurso da Escola Parque
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Secretaria decide não fechar Sala de Recurso da Escola Parque

A Secretaria de Educação resolveu não fechar mais a Sala de Recurso da Escola Parque 303/304 Norte. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (13) pelo secretário Denilson Bento da Costa durante reunião com pais de alunos especiais, professores e a deputada Eliana Pedrosa (PSD), que intermediou o encontro. Além disso, será realizado um seminário para debater a atual política de inclusão da rede pública de ensino.

Os pais dos alunos mostraram-se preocupados e indignados com a possibilidade de se perder a Sala de Recurso. Na semana passada, eles fizeram manifestação e colheram assinaturas para uma petição pela manutenção do local. No encontro de hoje, Lourdes Cabral, do Fórum Permanente de Apoio e Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência do DF e do Entorno (Faped), foi categórica. “Estamos perdendo conquistas importantes de anos neste governo. Tiraram monitores e bolsistas e ameaçaram tirar a sala de referência que temos nas escolas”, afirmou.

O diretor da Escola Parque 303/304 Norte, Everaldo Mendonça, mostrou-se preocupado com a atual situação. Segundo ele, se não tiver atenção agora pode haver retrocessos na educação dos alunos especiais. “Temos de tomar cuidado para não promovermos a exclusão em nome da inclusão. A Sala de Recursos é a referência do nosso trabalho. Aceito propostas melhores, mas acabar com esse recurso por acabar eu não aceito”, desabafou.

Próximos anos

Ao anunciar a permanência da Sala de Recursos, Denilson Bento falou também da impossibilidade de se mudar a realidade ainda este ano. De acordo com o secretário, o ano letivo está praticamente no fim e, por isso, será realizado o seminário para elaborar políticas para os próximos anos. “Vamos planejar tudo com início, meio e fim. Mas este ano, infelizmente, não temos como fazer muita coisa”, afirmou.

A declaração deixou pais e a deputada Eliana preocupados. A parlamentar pediu atenção redobrada com os acontecimentos de hoje. “Sei que mudar uma política não é fácil e demanda tempo. Mas os alunos precisam de uma atenção especial hoje e isso já era feito. Tem que se fazer agora, mesmo que seja algo simples e pequeno”, defendeu.

Pai de Larissa Amorim, 6 anos, Roberto Barreto ficou triste com a notícia. A filha estuda na Escola Classe 106 Norte e tem Síndrome de Down e demanda a presença de um monitor. “Não quero ter de sair do trabalho para ajudar na escola dela. Um monitor seria o bastante. Mas estou sem muitas esperanças”, desabafou.

Não há data prevista para a realização do seminário que debaterá mudanças na política de inclusão na rede educacional do DF. A Secretaria de Educação acredita que até dezembro vai promover o evento e anunciará a data, provavelmente, na próxima semana.

(Visited 1 times, 1 visits today)
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Chave PIX:

13.219.847/0001-03

Nos apoie:

Chave PIX:

13.219.847/0001-03