Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

Mulheres jornalistas do DF vão responder nas ruas políticas misóginas e machistas

Postado por Simone de Moraes

5/03/2020 21:44


Crédito:

Em defesa da democracia e pela vida de todas as mulheres, contra o racismo, o machismo e o fascismo, mulheres do DF irão às ruas neste 8 de março – Dia Internacional das Mulheres. A concentração para o ato será às 7h, no Pavilhão do Parque da Cidade, de onde as mulheres seguirão em marcha até o Palácio do Buriti. O encerramento será na Torre de TV (veja programação completa abaixo).

No 8 de março de 2020, as mulheres do Brasil protestam contra o governo machista e misógino de Bolsonaro. Além das políticas perversas aplicadas – que têm como principal alvo as mulheres –, Bolsonaro acredita que mulheres devem ganhar menos que homens, disse que a própria filha é resultado de uma fraquejada, afirmou que uma deputada federal não foi estuprada por não merecer e atacou uma jornalista com trocadilhos de cunho sexual após denúncia que poderia prejudica-lo. Não para por aí. Bolsonaro também escolheu para o Ministério da Família e dos Direitos Humanos Damares Alves, pastora evangélica que ataca a todo momento os direitos das mulheres.

A luta das mulheres no 8 de março também se dá contra o governo de Ibaneis Rocha, no Distrito Federal. Ele segue a cartilha de ataque às mulheres de Bolsonaro, e tenta barrar o andamento da Comissão Parlamentar de Inquérito criada em novembro para investigar os casos de feminicídio do DF, corroborando com a cultura do estupro.

Em manifesto, as mulheres do DF ainda apontam outras bandeiras que comporão o 8 de março de 2020 no DF, como a defesa dos serviços públicos; a preservação do meio ambiente, o direito à terra e ao território das comunidades indígenas, quilombolas e tradicionais; a legalização do aborto; a ampliação da participação das mulheres nos espaços de poder; a liberdade de expressão e a democratização da comunicação; a implementação de políticas públicas direcionadas à cultura; e a exigência de justiça para Marielle.

O documento ainda lembra que o 8 de março é o início de uma jornada de lutas deste mês, e que as mulheres estarão novamente nas ruas nos dias 14 de março, quando completam-se dois anos do assassinato de Marielle e Anderson Gomes, e no dia 18 de março, no Ato Unificado em Defesa dos Serviços Públicos, por Empregos, Direitos e Democracia.

“Por um 8 de março unificado! Quando o país passa por reformas como as que foram aprovadas recentemente, as primeiras prejudicadas são as trabalhadoras. Jornalistas, é preciso unir forças contra as opressões de um governo patriarcal, racista e machista!”, convoca o Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF.

Programação 8 de março

Pela vida de todas as mulheres, contra o racismo, o machismo e o fascismo. Fora Bolsonaro!

7h – Concentração no Pavilhão do Parque da Cidade

9h – Marcha rumo ao Buriti

Fonte: Sindicato dos Jornalistas do DF

(Visited 1 times, 1 visits today)