Responsive Ad Slot

Prepare-se porque vem mais frio por ai!

Postado por Simone de Moraes

26/06/2017 13:39


Crédito: Reprodução

O Distrito Federal deve enfrentar mais uma semana com tempo frio e seco. As temperaturas durante as madrugadas devem permanecer estáveis, como na semana passada, com mínimas de 10°C a 12°C, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A sensação térmica, no entanto, tende a cair mais por conta das rajadas de vento na capital, fazendo os termômetros variarem até 5°C. Nas horas mais quentes do dia, os termômetros devem atingir a média de 23°C ao longo dos próximos dias.

Nesta madrugada, a mínima foi de 13°C, mas a sensação térmica foi de 9°C, segundo o Inmet. A tendência é de, no máximo, 25°C à tarde, com céu claro a parcialmente nublado e com períodos de nublado e névoa seca. A umidade relativa do ar fica entre 85% e 40%. O brasiliense terá que reforçar o agasalho. Quem explica o motivo é o meteorologista do Inmet Manoel Rangel: “Os ventos roubam o calor do corpo. Por isso, quem trabalha em áreas abertas, por exemplo, sente mais frio. Com rajadas mais fortes, o frio aumenta. Há quem estranhe a média registrada no termômetro e a sensação que teve.” As madrugadas também serão mais geladas. “A terra absorve calor e a noite devolve para o espaço. Quando não tem nebulosidade, o calor vai embora”, completa Rangel.
As mínimas registradas nos últimos dias estão se aproximando do recorde negativo no ano passado. Em 18 de junho de 2016, o Inmet marcou 9,9ºC. “Não há previsão de novas massas de ar polar, mas a temperatura pode cair mais um pouco. Entretanto, todos os índices estão dentro do esperado na série histórica”, explica. A umidade relativa do ar varia entre 80% no início do dia, e cai até os 40%, nos momentos de maior calor.
As massas de ar seco inibem a formação de nuvens de chuva. Para julho, as pancadas podem chegar a 11mm na cidade. “No ano passado, a previsão era a mesma, mas não choveu. Estamos nos aproximando do período mais seco do ano, com baixíssimo potencial”, explica Rangel.
A falta de chuva deve ficar ainda mais acentuada em agosto. “Os próximos meses são os mais secos do ano e o ponto crítico é agosto”, destaca o meteorologista. As pancadas, se as intempéries deste ano seguirem a tendência dos gráficos históricos do Inmet, devem voltar a cair em solo brasiliense a partir de novembro, o que segue agravando a crise hídrica no DF.

Cuidados com a saúde

Com o inverno, os brasilienses devem redobrar os cuidados com a saúde para evitar problemas respiratórios e de pele. Especialistas pedem atenção especial com crianças e idosos. Algumas dicas são evitar grandes aglomerações de pessoas, usar agasalhos, intensificar a hidratação e permanecer em lugares bem arejados.
Fonte: CB