Responsive Ad Slot

Suspeito de matar e simular suicídio da mulher é preso em Santa Catarina

Postado por Simone de Moraes

22/04/2017 17:18


Crédito: Reprodução

O assessor de microempresas Ivo Mendes do Nascimento de 28 anos, apontado pela Polícia Civil de Goiás como o suspeito de matar a mulher, Nathália Verônica de Macedo, 26, e simular o suicídio da vítima, foi preso na quarta-feira (19/4), em Itajaí (SC). Ele estava com o filho do casal, de um ano, quando foi parado em uma blitz de trânsito. O crime aconteceu m 10 de março e o suspeito estava foragido havia 40 dias.

O paradeiro de Ivo foi descoberto porque ele dirigia o carro da mãe de Nathália e ela havia feito um boletim de ocorrência de furto do veículo. “Ele havia fugido nesse carro levando o bebê, e a mãe da Nathália fez queixa sobre o furto. Os policiais viram histórico e entraram em contato com a Polícia de Goiás, que informou sobre o crime”, detalhou o tio da vítima, Ednaldo Brito.
Segundo Ednaldo, a maior preocupação da família era justamente as condições de saúde do bebê. A criança ainda estava amamentando e tinha dificuldades com alimentação. Por isso estava sendo acompanhada por medicos. “Essa era nossa maior agonia. Graças a Deus conseguimos localizar ele (sic). O menino estava um pouco magro e mal tratado. Agora vamos cuidar dele, e esperar que a Justiça seja feita”, comentou o tio.

Antes de chegar em Santa Catarina, o acusado já havia passado pelos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Segundo Ednaldo, a intenção dele era chegar a Argentina. “Agora estamos mais tranquilos. A avó foi buscar a criança e chegou ontem de Itajaí”. Junto com a prisão preventiva do suspeito, a Justiça também concedeu a guarda da criança para a mãe da dentista.

Morte

O crime aconteceu em Luziânia (GO), distante 62km do Distrito Federal, em 10 de março. De acordo com informações da Polícia Civil, Nathália Verônica de Macedo, foi encontrada morta na varanda do apartamento onde morava com o suspeito e outras duas crianças: o filho do casal e um garoto de 11 anos, filho do primeiro relacionamento de Ivo.
Inicialmente, o caso era tratado como suicídio, devido às circunstâncias em que o corpo foi encontrado. Ela estava na sacada, com um fio amarrado no pescoço e uma pia pendurada na janela. Porém, ao longo da investigação, os indícios mudaram a linha de investigação. O marido passou a ser o principal suspeito de ter matado a dentista.
De acordo com a Polícia Civil goiana, no corpo da dentista foram encontradas algumas marcas, possivelmente causadas por uma briga. Durante a investigação, a corporação identificou diversas contradições nos depoimentos. Aos policiais, Ivo disse que, um dia antes, a mulher havia sumido. Ele contou que seguiu com as duas crianças até a casa da mãe da dentista, na Asa Norte, no Distrito Federal. E ao retornar para casa, teria encontrado Nathália morta.
Fonte: Correio Braziliense