Responsive Ad Slot

A CUT-DF informa que não haverá manifestação amanhã na Esplanada dos Ministérios

Postado por Simone de Moraes

27/04/2017 19:40


Crédito: Reprodução do Facebook

Rodrigo Britto, presidente da Central Única Dos Trabalhadores (CUT) do Distrito Federal, informou ao Correio Braziliense que, durante a greve geral desta sexta-feira (28/4), não vai haverá manifestação na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. De acordo com o sindicalista, nenhum ato vai ocorrer durante o dia por conta da paralisação promovida pelos rodoviários e metroviários da capital. “Amanhã não tem manifestação, vai ter greve. Vamos parar a produção e o que vai ter é um ato a indignação dos trabalhadores. Vamos cruzar os braços”, explica o sindicalista.

O movimento, marcado há algumas semanas, ocorre em protesto às reformas apresentadas pelo Poder Executivo e que tramitam no Congresso Nacional. Os sindicatos convocaram uma greve geral, com a ideia de parar todos os serviços. O último movimento deste tipo ocorreu em 1983, quando o Brasil vivia uma grave crise econômica, com aumento do desemprego, levando 3 milhões de pessoas a cruzarem os braços.

Além dos trabalhadores do transporte público, outras categorias já confirmaram adesão à greve. O Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) informou que não haverá aula nas escolas por conta do movimento. O Sindicato dos Bancários comunicou o fechamento das agências durante o dia. Nesta quinta-feira (27), universidades particulares começaram a enviar mensagens aos estudantes comunicando a suspensão das atividades por conta dos protestos.

Veja os setores que prometem parar no Distrito Federal:

Transporte Público

O Sindicato dos Rodoviários e o Sindicato dos Metroviários do Distrito Federal (SindMetrô/DF) informou que irá aderir ao movimento nacional. A suspensão dos serviços está convocada para iniciar às 0h de sexta-feira e deve durar 24 horas. Com a paralisação, o Detran-DF informou que as faixas exclusivas para ônibus estarão liberadas para veículos na EPTG, EPNB, W3 Sul e Norte e do Setor Policial Sul. A medida vale de 0h até às 23h59.

Educação

O Sindicato dos Professores da Rede Pública do DF (Sinpro-DF) e o Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino (Sinproep-DF) também decidiram aderir ao movimento. As duas centrais divulgaram notas em seus sites oficiais informando que os trabalhores estão convocados para suspender os serviços.

Bancários

Em assembléia realizada na última sexta-feira (21/4), o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Brasília (SEEBB-DF) decidiu que participará da greve a partir da 0hs

Saúde

Os servidores e profissionais de saúde também estão convocados para aderir à greve pelo Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília (SindSaúde-DF). A categoria publicou nota confirmando sua participação no movimento nacional.

Detran

Sindicato dos Trabalhadores em Atividades de Trânsito, Policiamento e Fiscalização de Trânsito das Empresas e Autarquias (Sindetran-DF) confirmou, em assembleia realizada no dia 06/04, que os servidores do Departamento de Trânsito (Detran-DF) irão cruzar os braços nos dias 27 e 28 de abril. Em nota, a direção do órgão recomenda que os usuários do serviço procurem os postos do Na Hora ou o site detrandf.gov.br.

Polícia Civil

O sindicato decidiu aderir à manifestação nacional e convocou todos os servidores e operadores de segurança pública para a paralisação. O grupo promete começar a mobilização às 9h30, no Museu da República.

Aeroviários

Segundo o Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), a paralisação da categoria está prevista para começar na manhã de sexta-feira, ainda sem horário de início divulgado. A decisão inclui os trabalhadores que exercem atividades no solo, como serviços de check-in e responsáveis pela bagagem, por exemplo.

Correios 

De acordo com a direção da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos (Fentect), os funcionários dos Correios de todo o País entraram em greve geral por tempo indeterminado a partir das 22h desta quarta-feira (26). A Federação alerta que municípios do interior e regiões periféricas podem ficar sem serviços bancários e de Correios, já que expectativa é que mais de 200 agências deixem de abrir a partir desta quinta-feira (27).

CEB

Categoria decidiu, em assembleia realizada na noite de segunda-feira (24), que vai cruzar os braços. Concentração para protesto ocorrerá no SIA.

Vigilantes

A categoria estava em greve até a última quinta-feira (20/4). Uma audiência de conciliação está marcada para esta quinta-feira (27/4), no TRT. O grupo promete decidir os rumos do movimento em assembleia marcada para o mesmo dia.

UnB

Professores vão aderir à greve por decisão em assembleia realizada no último 12 de abril.

Judiciário e MPU

Em nota, o sindicato que representa a categoria (Sindjus-DF) diz que vai aderir à paralisação. O grupo planeja protestos a partir das 9h, em frente ao Congresso Nacional.

 

Mirelle Bernardino e Renato Souza