Responsive Ad Slot

Otun apa

Postado por Luan

30/08/2016 18:28


Alguns assessores de políticos, gestores públicos, empresários, etc, às vezes fazem tão mal ao assessorado que é melhor não os ter. É o caso do “ọtun apa” (braço direito em ioruba) da deputada distrital Celina Leão (PPS), o secretário legislativo Sandro de Morais Vieira. Sandro foi protagonista de diversos mal-estar para a deputada distrital sendo exonerado em dois instantes, hoje (30), e em 2013, quando teve desacatou no Plenário, a então deputada distrital Arlete Sampaio.

Na ocasião, Sandro Vieira levantou a voz e avançou de dedo em riste em direção a Arlete, líder do governo Agnelo na Câmara, no que o deputado Chico Vigilante sentenciou: “Não é a primeira que ele faz isso. Ele age como se fosse o 25º deputado”. E assim sempre foi e era até o dia de hoje.

Quando da eleição da deputada Celina Leão para presidência da Casa o ano passado, a primeira providência dela, tanto que saiu no Diário Oficial do dia seguinte, foi trazer Sandro Vieira de volta, renomeando com cargo de destaque e com alto salário.

 

A exoneração acontece um dia após Sandro prestar depoimento no Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT). Ele é acusado por uma testemunha que não quer se identificar de ter retirado computadores da Casa um dia antes da Operação Drácon. No dia 23/8, promotores e policiais civis estiveram na sede do Legislativo local para apreender documentos e equipamentos. …

 

A ação foi feita após a divulgação de grampos da deputada Liliane Roriz (PTB), que denuncia um suposto esquema de cobrança de propina pelos parlamentares, capitaneados por Celina, para a destinação de emendas.

 

Pessoa influente, de total confiança de Celina, Sandro também foi fiel escudeiro da ex-deputada Eurídes Brito, que acabou alijada da carreira política após ser filmada por Durval Barbosa enfiando maços de dinheiro fruto de corrupção, na bolsa. Em 2005, na CPI da Educação, Sandro chegou a ser indiciado por indícios de sonegação fiscal e crimes contra a ordem tributária.