Responsive Ad Slot

Fraude em concurso público em Perdões (MG): secretário pede exoneração

Postado por

9/04/2016 6:56


Crédito: Foto: reprodução EPTV

O Ministério Público de Perdões (MG) investiga uma possível fraude em um concurso público realizado pela prefeitura em janeiro deste ano. Em uma conversa gravada, Renan Siqueira, filho do prefeito Fernando Siqueira e era Secretário de Assistência Social, conta como funcionou um esquema de aprovação no concurso, que pode ter beneficiado cinco pessoas da família do prefeito, além de amigos.

O áudio foi gravado por um homem que trabalhava na prefeitura e era amigo de Siqueira.

“Quando eu comecei escutar sobre a fraude do concurso, eu resolvi gravar e com essa indignação minha, que eu tive no momento de ouvir e ver o que tava.. a verdade, que tava sendo jogada na minha cara naquele momento, fiquei revoltado, injuriado, indignado como qualquer outra pessoa se sentiria se estivesse no meu lugar”, diz o homem que fez a denúncia.

O áudio tem uma música ao fundo, mas é possível entender que um homem, que seria o secretário, está insatisfeito porque um primo não quis o cargo na prefeitura, mesmo tendo sido beneficiado.

“Renan:  Tipo assim, passou ele no concurso lá bonitinho prá ele trabaiá e cê pensa que ele qué?
Denunciante: Ajudou ele né veio? Ajudou? Deu lá prá ele o concurso?
Renan: O quê? Ajudou! Eu ajudei ele! Ajudei ele memo! Ajudei memo!
Denunciante: Toma né o concurso.
Renan: Ah! Ah!
Denunciante: Não foi? Vai lá, passa.
Renan: Passa. É uai, falei prá ele passa. Quem falou que ele quer?”

Segundo gravação, esquema foi feito para beneficiar algumas pessoas no concurso em Perdões (Foto: Reprodução EPTV)
Segundo gravação, esquema foi feito para beneficiar
algumas pessoas no concurso em Perdões
(Foto: Reprodução EPTV)

A ajuda teria sido no concurso público realizado pela Prefeitura de Perdões no dia 10 de janeiro. Foram mais de 3 mil inscritos e quase 300 aprovados. Entre eles, o próprio Renan e outros parentes e amigos da família, que, segundo a gravação, teriam sido favorecidos.

“Denunciante: Aí foi os seus menino mais os primos, o Diego, a Alana, a Cristiane…
Renan: É. É. Nóis coloco os nomes.
Denunciante: Quem mais?
Renan: Esses que ocê viu. Não mas foi só esses memo.
Denunciante: Mas o cara da fisioterapia lá…
Renan: O Zé Cláudio, o Zé Cláudio foi tamem.
Denunciante: Aqueles parente do André lá, a muié do André.
Renan: Patrícia, Cristiane…
Denunciante: E a Ábia, também? Foi ou não?
Renan: Foi.
Denunciante: Também, né?
Renan: Aham. Você acha que ela ia entrar?”

Na conversa, também é citada a empresa “Reis e Reis”, que realizou o concurso. Ela não teria sido paga pela fraude, mas teria favorecido as pessoas como uma forma de agradecimento por ter vencido a licitação.

“Renan: A empresa que é licitada lá meu fio ocê manda nela, ocê faz o que ocê quer…
Denunciante: Mas não teve que pagar por vaga? Nada?
Renan: Ela que te paga. Ela que te paga…
Denunciante: Licitou ela ocê escolhe o que ocê quer?
Renan: É uai.”

O áudio e a transcrição completa da conversa foram entregues ao Ministério Público da cidade, que já vinha investigando o caso. Desde a divulgação do resultado do concurso, no dia 17 de fevereiro, vários candidatos já tinham desconfiado da quantidade de parentes do prefeito que foram aprovados. Os promotores, inclusive, já começaram a ouvir algumas pessoas para apurar se realmente houve fraude. Nesta semana, o áudio também foi apresentado na Câmara dos Vereadores, que deve acompanhar o caso.

“Vou acatar a denúncia e a partir daí nós vamos montar a comissão processante que é composta por três vereadores e a partir daí a gente começa o processo de investigação, comprovação realmente dessa denúncia para que a lei seja cumprida e para que a gente dê uma resposa à nossa sociedade, que tanto merece essa resposta e está nos cobrando”, disse Keila Alves Cardoso (PSDB), presidente da câmara.

Na prefeitura, a informação é de que o secretário pediu exoneração do cargo. O funcionário da prefeitura que fez a gravação também pediu demissão assim que fez a denúncia ao Ministério Público. Ele diz que, por segurança, também se mudou de cidade. Mesmo assim, espera que a fraude seja comprovada.

“Ao meu ver não sou eu que sou covarde. Covarde e traidor são as pessoas que arquitetaram isso, que planejaram isso, que enganaram várias pessoas, enganaram milhares de pessoas, enganaram eleitores, pessoas que fizeram o concurso, pessoas que estudaram e.. que é um sonho passar no concurso. Espero que a justiça seja feita e o mais rápido possível, pra que seja uma resposta pra população. Que.. que a gente não pode usar uma fraude dessa para beneficiar pessoas”, disse o denunciante.

O prefeito de Perdões, Fernando Siqueira, vai responder pela Secretaria de Promoção Social, Trabalho e Emprego, no lugar do filho dele, Renan Siqueira, que foi exonerado. A prefeitura informou ainda que todo processo licitatório para a escolha da empresa responsável pela realização pelo concurso público foi feito dentro da lei. Em nota, a empresa “Reis e Reis”, que venceu a licitação para aplicar o concurso, disse que desconhece os áudios e que todo processo de licitação foi feito dentro do que é exigido e devidamente fiscalizado pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais.

Com informações do G1.

http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2016/04/mp-investiga-possivel-fraude-em-concurso-da-prefeitura-de-perdoes.html