Responsive Ad Slot

As doações obscuras da empresa de fachada chamada Leyroz de Caxias

Postado por Luan

26/03/2016 17:46


Crédito: Reprodução

Depois de cruzar os dados das planilhas da Odebrecht a internauta Thais Moya, continuou se dedicando a entender o intricado mundo das doações de campanhas. Um trabalho primoroso.

Leia:

“Hoje, me dediquei a entender como a Odebrecht repassou os valores anotados na planilha referente a Campanha Eleitoral de 2010, já que pelo CNPJ da empresa estão contabilizados apenas R$ 6.100.000 e a soma total registrada da planilha beira R$ 30.000.000.

Para isso, verifiquei as prestações de contas dos candidatos e comitês partidários. Busquei pelas datas e valores registrados nas planilhas.

A partir disso, descobri que maioria dos valores pagos pela Odebrecht foi realizada por meio de outra empresa, chamada Leyroz de Caxias.

Então, encontrei algumas reportagens acerca do caso, nas quais ficou evidente de que se trata de uma empresa suspeitíssima, cujo um dos donos já até foi preso.

Veja trecho do habeas corpus para entender o perfil obscuro e criminoso da empresa em questão:

“É que, da análise dos autos se percebe que além da suposta prática de crimes contra a ordem tributária, o órgão ministerial também busca investigar a possível prática do delito de formação de organização criminosa voltada a sonegação de tributos porque “constatou o Fisco Estadual que o que ocorre de fato é a coordenação entre fabricação e distribuição, com Walter Faria à frente do negócio, tendo Roberto Luis Lopes, que figura no quadro social da Leyroz, como”testa de ferro”na atividade de distribuição” … “é citada como evidência de conluio entre a CP-Boituva e distribuidoras para sonegação o fato de a fabricação e distribuição fazerem parte de um mesmo ente econômico” e, ainda, que o relatório “traz considerações sobre a configuração de organização criminosa, com referência a conclusão semelhante por parte da Polícia Federal – fls.36⁄39 do relatório” (fls. 61⁄63).”

(http://tijolaco.com.br/…/empresa-que-aecio-usa-para-se-jus…/)
(http://www.jusbrasil.com.br/…/andamento-do-processo-n-00615…)

O nome da empresa foi alterado para Rof Comercial Impex EIRELI, recentemente.Não existe site oficial ou mesmo referencias corriqueiras da atuação da empresa na internet. Apenas menções vagas de endereços em Vila Velha, Cachoeira de Itapemerim e Maceió.

Aparentemente trata-se de uma distribuidora de cerveja, mas até agora ninguém conseguiu mostrar um caminhão sequer.

Em resposta à reportagem da UOL, a empresa negou qualquer envolvimento com a Odebrecht.

“As doações de campanha feitas pela Leyroz e Praiamar foram motivadas por “decisão pessoal” do administrador das duas distribuidoras de bebidas, Roberto Fontes, informou o advogado Ricardo Pieri, que defende o empresário. Segundo ele, todas as doações foram devidamente informadas à Justiça Eleitoral e atendem aos limites impostos pela legislação. Segundo ele, só a Praiamar faturou R$ 2,5 bilhões em 2012, ano em que doou mais de R$ 22 milhões a diversos partidos.”

Já a Odebrecht, quando “questionada sobre o motivo de possuir em seus arquivos planilhas com doações feitas por outras empresas. A construtora limitou-se a informar, em nota, que “os esclarecimentos necessários foram prestados durante as oitivas realizadas pela Polícia Federal”.”
(http://noticias.uol.com.br/…/planilha-mostra-uso-de-cerveja…)

Os políticos envolvidos nos repasses obscuros da Odebrecht/Leyroz deram variadas justificativas presentes nesse link:
http://g1.globo.com/…/politicos-que-aparecem-em-planilhas-d…

Aécio Neves – em seu delírio de presumir que somos estúpidas de acreditar em tudo que ele diz – afirmou, ontem, que está tudo declarado e legalizado:
“As doações mencionadas constam da PRESTAÇÃO DE CONTAS do Diretório Estadual do PSDB em 2010 e da conta de campanha eleitoral do então candidato ao Senado Aécio Neves. Elas foram realizadas pela empresa LEYROZ DE CAXIAS INDUSTRIA COMERCIO & LOGISTICA LTDA, cujos dados também constam nas planilhas hoje divulgadas. as doações ocorreram na forma legal e estão demonstradas nos documentos públicos registrados pelo PSDB junto ao TRE-MG.”

Porém, além da obscuridade do provável uso de uma empresa de fachada, os dados cruzados no TSE e TRE não confirmam a versão do candidato a presidência. Pois não há registro algum de doação da Leyroz em sua prestação de contas, como explica detalhadamente o Portal GGN:
http://jornalggn.com.br/…/aecio-se-enrola-e-nao-explica-doa…

Não é só Aécio que está dando corda para se enforcar, há nomes de peso nacional entre as doações da obscura relação Odebrecht/Leyroz: José Serra, Alckmin, Beto Richa, Eduardo Cunha, Mercadante, Jacques Wagner, Paulinho da Força, Garotinho, Eduardo Campos, Aldo Rebelo, entre outros.

O que ninguém vai conseguir explicar de modo plausível, principalmente, depois das empresas terem negado relação entre si, é:

A troco do quê a Odebrecht usou essa manobra por meio da Leyroz?

Ainda mais importante: Por qual razão a maioria dos partidos políticos se submeteram a isso?

Estão tentando nos convencer de que são doações legais, mas tem muita sujeira nesse esquema “ODEBRECT – LEYROZ – PARTIDOS” e por mais que a Globo, o juiz Moro e o MPF tentem nos esconder, a verdade parece estar óbvia: Inventaram um “NOVO CAIXA 2” com uma frágil aparência de legalidade.

Ciente do esquema, dediquei-me a mapear cada partido e político que usou desse esquema obscuro na campanha eleitoral de 2010.

O resultado é assustador: 16 partidos, 46 políticos, 16 estados e R$ 23.158.000.

Cruzei os dados da planilha da Odebrecht com as doações da Leyroz de Caxias registradas no TSE. Somei os valores recebidos em cada partido a partir dos beneficiários dos repasses, anotados nas planilhas da Odebrecht.

Essa metodologia permite observarmos a prática do “apadrinhamento” fortemente utilizado pelo PMDB, nas pessoas de Eduardo Cunha e Eduardo Paes.

Peço, por favor, que ajudem a conferir os dados e valores, pois quanto mais correta a informação, melhor poderemos avaliar a conjuntura.

Dito essas coisas, continuo querendo saber por que a Globo e o juiz Moro estão escondendo essas informações.

Será que é porque o fato de que a corrupção está generaliza e sistêmica depõe contra a “tese do Impeachmente” amplamente divulgada de que o PT é o grande problema do Brasil?

Será que é porque os dados escancaram que o PMDB e o PSDB estão também atolados em corrupção???

Será mesmo que a Lava Jato está combatendo a corrupção ou estaria sendo instrumentalizada para fazer exatamente o contrário: eliminar apenas um partido da equação, no caso o PT, e manter a histórica estrutura de propinas, compra de votos e caixa e 2???

Você está, de fato, preocupado com o Brasil ou está absolutamente ocupado com seu ódio pelo PT que não consegue enxergar o que evidentemente está em jogo??

Por fim, não vai ter golpe. Vai ter luta e divulgação de informações, doa a quem doer.

Link TSE: http://spce2010.tse.jus.br/spceweb.consulta.prestacaoconta…/