Responsive Ad Slot

Ibram terá que explicar “patrocínios” a Comissão de Meio Ambiente da CLDF

Postado por Luan

3/02/2016 14:55


Crédito: Rinaldo Morelli/CLDF

Os deputados integrantes da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Legislativa aprovaram hoje (2) um requerimento para ouvir explicações da presidente do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) sobre a notícia de que o órgão solicitou pedidos de patrocínio a empresas privadas que aguardam a análise de licenças ambientais. Segundo o requerimento aprovado, a presidente do Ibram, Jane Maria Villas Bôas, será ouvida pelos distritais no dia 25 de fevereiro, às 10h30, na Câmara Legislativa.

De acordo com notícias veiculadas na imprensa, o órgão teria solicitado patrocínio às empresas JC Gontijo e Ciplan para custear a realização de um seminário voltado a servidores do Ibram. O evento foi realizado entre os dias 22 e 24 de janeiro último, no Hotel Fazenda Vale das Cachoeiras, em Novo Gama (GO), para 60 pessoas, com hospedagem e alimentação incluídas. O deputado Chico Vigilante (PT) divulgou um documento condenando o pedido do órgão. “As duas empresas têm processos requerendo licença de instalação e autorização de supressão vegetal em tramitação no Ibram em regiões como Setor Noroeste, Mangueiral, Tororó e Fazenda Paranoazinho”, afirmou o parlamentar petista.

“Esse patrocínio fere o princípio da impessoalidade. É de se estranhar que empresas que têm interesse em processos que tramitam no Ibram patrocinem eventos de qualificação de servidores do órgão”, observou Cristiano Araújo (PTB), presidente da Comissão de Meio Ambiente. Para a deputada Sandra Faraj (SD), “não cai bem esse tipo de patrocínio”. Já o distrital Rodrigo Delmasso (PTN) argumentou que havia verba pública disponível para realizar o evento, não havendo necessidade de patrocínio. “A presidente do Ibram afirma em seu ofício às empresas que o órgão não dispunha de orçamento, mas eu verifiquei a existência de orçamento em 2015 que poderia ter sido usado neste ano sob a forma de restos a pagar. Além disso, não seria necessário deslocar os 60 servidores a outra cidade, pois temos aqui no DF a Escola Nacional de Administração Pública (Enap), cuja função é exatamente qualificar servidores públicos”, disse.

Éder Wen – CCS