Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

As Verbas Publicitárias e a falta de transparência

Postado por Simone de Moraes

11/06/2012 17:36


Crédito: DataCave

O blog da “Maria Frô” publicou hoje um texto bastante interessante sobre os gastos do governo do Distrito Federal com publicidade nas grande mídias. O Câmara em Pauta gostaria de repercutir o tema, relembrando o que já falamos antes neste portal sobre gastos com verba publicitária da Câmara Legislativa do DF, que segue a mesma escola do GDF para estes gastos e aplica rios de dinheiro em grandes veículos, deixando os pequenos a ver navios.

Outro fato que já discutimos foi a distribuição da verba publicitária da CLDF, que é feita num processo sem transparência alguma, contrariando leis feitas e aprovadas pela própria Casa, obrigando CLDF e GDF a publicizarem os gastos com  publicidade (+aqui), mas já diz o ditado que em "casa de ferreiro o espeto é de pau", o GDF cumpre a lei, mas o Legislativo não. Já comentamos inclusive que o Ministério Público deveria averiguar, o fato de um único CNPJ servir para pagamento da verba publicitária para vários veículos de comunicação de um mesmo dono e qual o critério de distribuição dessas cotas publicitárias (+aqui).

No início do ano, uma guerra entre a CLDF e a imprensa foi aberta (+aqui) e a deputada Celina Leão (PSD) denunciou no plenário que o Correio Braziliense recebe sozinho mais que muitos juntos e mais que uma emissora de TV (+aqui). Na mesma época, o presidente da Casa, Deputado Patrício (PT) propôs aos seus colegas aprovar um projeto de lei, onde todos os veículos de comunicação recebam a mesma cota da verba publicitária (+aqui). A deputada Eliana Pedrosa (PSD) interpelou a coordenadoria de comunicação pedindo informações sobre esses gastos, mas a resposta nunca chegou até nós (+aqui) e depois tudo voltou a ser como antes entre CLDF e grande imprensa (+aqui). Perguntamos mais uma vez sobre a distribuição no mês passado (+aqui) e não recebemos resposta alguma.

Enquanto isso na redação, esperamos que um dia nossos questionamentos sejam respondidos e não desistiremos de tentar, afinal perguntar não ofende, replicamos abaixo o texto da Maria Frô, convidando a população do DF a refletir mais um pouco sobre esses gastos.

Governo do DF alimenta com gosto Veja, Globo, Band, Record, Correio Braziliense…

Por Maria Fro  E bem impressionante o volume gasto com publicidade pelo governo do Distrito Federal (que pode ser visto aqui).

Ao ver o montante, lembrei de um artigo do professor Venício Lima em que ele questionava se não era bom pra cidadania, para a democracia se nós tivéssemos informações de quanto os governos gastam, com quem gastam e como gastam dinheiro de publicidade. Porque os grandes veículos adoram dizer que SECOMs ou estatais contribuem com merrecas para encontros de ativistas pela democratização das comunicações, mas nunca vi nenhum veículo da grande mídia publicar quanto recebe de publicidade de estatais ou de governos (de todas as instâncias).

Já imaginaram se este montante fosse investido em tvs públicas,  em rádios e tvs comunitárias o salto que teríamos na democratização das comunicações?

Embora o jornalixo da Veja ainda receba quase meio milhão em um único trimestre de um único governo, o montante de recursos para Globo, Record, Band etc estão na casa dos milhões.

Quando paramos pra examinar o volume de recursos que saem dos cofres públicos para uma imprensa que pouco informa e faz muita política partidária; para uma mídia onde o pluralismo de opiniões está praticamente ausente, para veículos que assumidamente agem como partidos de oposição, para aqueles em que há fortes indícios de que trabalham com o crime organizado para chantagear e desestabilizar governos, causa ainda mais repulsa a preguiça e covardia desses governos em enfrentar os monopólios midiáticos. Para a preguiça e covardia de um Parlamento que sequer põe em discussão como concessões públicas de rádio e tv agem estimulando chacinas de menores em situação de risco ou repórter condena, expõe, ridiculariza adolescente em pleno ar sem que o suspeito tenha chance de defesa.

Quando ouvimos da boca de um ex-delegado do Deops que participou da morte de quase 100 pessoas que Folha emprestava suas peruas aos torturadores e na TV Globo havia inúmeros colaboracionistas da ditadura militar entendemos o porquê de grande parte desta mídia se posicionar contra a Comissão da Verdade, contra o Plano Nacional de Direitos Humanos III… Investigar a veracidade destas denúncias pode fortalecer a luta contra o monopólio midiático, contra concessões públicas recebidas durante a ditadura militar e nunca questionadas, contra concessões públicas que se consideram acima da lei e reproduzam preconceitos e cometam crimes contra os princípios constitucionais.

Pobres blogs, com esses governos e esse Parlamento preguiçosos e covardes sem chances de recursos na disputa com o monopólio midiático.

COMUNICAÇÃO É UM DIREITO QUE NO BRASIL É NEGADO A PRATICAMENTE TODOS OS MOVIMENTOS SOCIAIS QUE SÃO CRIMINALIZADOS, RIDICULARIZADOS; É NEGADO ÀQUELES QUE SÃO EXPOSTOS EM PROGRAMAS SENSACIONALISTAS E DISTANTES DOS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS, É NEGADO AOS TRABALHADORES QUANDO SE ORGANIZAM PRA PROTESTAR E SÃO TRATADOS COMO BANDIDOS QUE ATRAPALHAM O TRÂNSITO. COMUNICAÇÃO NÃO É NEGÓCIO.

Por Michel Aleixo, via Facebook

“Não é irônico a Veja acusar e taxar blogs que se sustentam com dinheiro público, sendo que a própria recebeu só no primeiro trimestre deste ano R$ 430.220,79 em publicidade do Governo do Distrito Federal. A título de comparação, o Brasil 247 recebeu no mesmo período: R$ 47.012,50.”

Transparência DF

(Visited 1 times, 1 visits today)