Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

Professores da UNB aprovam indicativo de greve

Postado por Simone de Moraes

17/05/2012 14:25


Crédito: Arquivo Ag

Nesta quarta (16) os professores da Universidade de Brasília (UnB) aprovaram um indicativo de greve em assembleia. A principal reivindicação da categoria é a reestruturação da carreira dos docentes. Uma nova assembleia será realizada na próxima sexta (18) e, se aprovada, a greve deve começar a partir de terça (22).

O presidente da Associação dos Docentes da UnB, Ebenezer Nogueira disse que a categoria quer a reestruturação que o governo está concedendo para outros servidores públicos. “Nossa greve não tem nada a ver com 4% ou 5%. Nós queremos é a reestruturação da carreira. O governo está fazendo a reestruturação de todos os servidores públicos e nós precisamos nos mover se não quisermos chorar daqui a 10 anos”, afirmou.

Na terça (16), o Decanato de Gestão de Pessoas da UnB anunciou que o reajuste salarial dos professores será de 4% a ser pago no mês de junho e informou que o Ministério do Planejamento não autorizou o aumento na folha de pagamento deste mês, porque é necessário a reorganização do sistema que armazena as informações sobre os salários dos servidores públicos.

Nesta segunda (14) a Medida Provisória (MP) 568/2012 publicada no Diário Oficial da União (DOU) prevê a criação de gratificações, mudanças em planos de cargos e reajuste nos salários de servidores públicos, beneficiando quase 1 milhão de funcionários, de acordo com o governo. Segundo o Ministério do Planejamento, a medida deve gerar um impacto financeiro de R$ 1,5 bilhão nas contas públicas. O  montante já foi previsto no Orçamento de 2012, aprovado no Congresso e sancionado pela presidente Dilma.

A MP autoriza alguns benefícios de imediato. No caso dos professores de instituições federais, os reajustes devem ser retroativos ao mês de março e as gratificações, devem ser concedidas a partir de 1º de julho de 2012. A medida entrou em vigor já desde a publicação, mas ainda precisa ser votada no Congresso no prazo de 90 dias. Uma comissão de parlamentares deve ser criada para analisar o texto.

(Visited 1 times, 1 visits today)