Responsive Ad Slot

TITULO DA CAMPANHA

Educação dá bolo em reunião para tratar de “educação”

Postado por Simone de Moraes

18/06/2011 22:59


Crédito:

 

A ausência de representantes das secretarias de Educação e de Administração Pública do Distrito Federal em reunião na manhã desta sexta-feira (17), na Câmara Legislativa, com aprovados no concurso público para técnico e analista de gestão educacional frustrou os que aguardam nomeação. Os aprovados tinham a expectativa de sair com o compromisso de um cronograma de convocação. O líder do governo, deputado distrital Wasny de Roure (PT), que coordenou a reunião no Plenário da Câmara Legislativa, se comprometeu a levar a discussão para uma comissão geral no dia 4 de agosto.Além de representantes de sindicatos e da comissão dos aprovados no concurso, participaram da reunião representantes das secretarias de Governo e de Planejamento, Orçamento e Gestão. Wasny justificou a ausência dos secretários de Educação e de Administração, mas reconheceu: “Não fomos bem sucedidos na negociação informal, então vamos levar para o plano formal, em comissão geral com todos os deputados da Casa”.

Segundo o secretário-geral do Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar do DF (SAE), Denivaldo Alves, o número de nomeações feitas este ano é insuficiente: foram 100 monitores e 42 analistas. Não houve nenhuma convocação para secretário escolar e para técnico de apoio administrativo. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2011 prevê 300 e 250 vagas para esses dois cargos, respectivamente.

“O governador disse que a prioridade é saúde e educação, mas não é o que se vê”, reclamou Alves. “Tem professor assumindo cargo de psicólogo nas escolas, por que não nomear um profissional para isso?”, questionou.

O presidente da comissão dos aprovados no concurso, Luís Antônio Mota, conhecido como Lula, lembrou que, além das vagas novas previstas na LDO, há muitas vagas desocupadas em decorrência de vacância. “Se há dinheiro para pagar empresas terceirizadas para cuidarem da limpeza, portaria e merenda, por que não há para contratar aprovados em concurso público, em processo isento?”, indagou.

Robson Crusoé, assessor da Secretaria de Governo, pediu paciência para os concursados, considerando que o concurso não está para expirar. Ele disse, no entanto, ser complicado estabelecer um cronograma de nomeação para a categoria. “A arrecadação varia, trabalhamos com previsões”, argumentou.

(Por: Denise Caputo/Foto: Rinaldo Morelli/CLDF)

(Visited 1 times, 1 visits today)